9 pontos para entender o que é a PEC do ‘orçamento de guerra’

Medida foi aprovada ontem na Câmara dos Deputados; texto segue para o Senado
-Publicidade-
O Congresso Nacional realiza sessão plenária para votar oito vetos presidenciais. Um dos vetos (VET 52/2019) trata de dispositivos da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO 2020) que prevê a execução obrigatória das emendas de comissões permanentes do Senado e da Câmara dos Deputados e de comissões mistas do Congresso.
O Congresso Nacional realiza sessão plenária para votar oito vetos presidenciais. Um dos vetos (VET 52/2019) trata de dispositivos da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO 2020) que prevê a execução obrigatória das emendas de comissões permanentes do Senado e da Câmara dos Deputados e de comissões mistas do Congresso.

Medida foi aprovada ontem na Câmara dos Deputados; texto segue para o Senado

A PEC vai separar do Orçamento-Geral da União os gastos emergenciais que serão feitos para combater a pandemia de coronavírus | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

Com o objetivo de destinar recursos exclusivos às políticas de combate ao coronavírus, a Câmara dos Deputados aprovou ontem uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria um orçamento paralelo, o chamado “orçamento de guerra”.

-Publicidade-

Em suma, a PEC vai separar do Orçamento-Geral da União os gastos emergenciais que serão feitos para combater a pandemia de covid-19. Desta forma, o objetivo é não gerar impacto de aumento de despesa em um momento de retração da economia brasileira.

Confira os principais trechos da proposta

1- Se aprovada pelo Senado, a PEC deve vigorar até o dia 31 de dezembro deste ano;

2- A medida é uma garantia constitucional ao Planalto, pois não abre margem para questionamentos jurídicos;

3- O projeto permite ao Executivo gastar os recursos do orçamento regular, sem amarras — a exemplo da regra de ouro, que proíbe o governo de contrair dívidas para pagar despesas primárias, como salários;

4- O Congresso Nacional terá 15 dias úteis para se manifestar sobre as medidas provisórias editadas pelo governo para liberar créditos extraordinários;

5- A PEC permite ao Banco Central vender e comprar títulos de emissão do Tesouro Nacional.

6- Cria-se um Comitê de Gestão da Crise, composto de autoridades, como o presidente da República, ministros de Estado e secretários estaduais;

7- Os atos do conselho citado anteriormente serão fiscalizados pelo Tribunal de Contas da União;

8-  Congressistas poderão suspender qualquer medida do comitê ou do Banco Central “em caso de irregularidade ou de extrapolação aos limites”;

9- Todas as ações judiciais contra decisões do Comitê de Gestão da Crise serão da competência do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Fundos Partidário e Eleitoral. A VIDA não pode estar em segundo plano. Estes Fundos não podem ser dispensados no combate ao coronavírus. Eleição, temos várias. VIDA, só temos uma.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.