Aécio Neves é denunciado pela PGR por corrupção

Na denúncia apresentada pela PGR ao Supremo Tribunal Federal (STF), Aécio teria recebido R$ 30 milhões da Odebrecht e R$ 35 milhões de reais da Andrade Gutierrez.
-Publicidade-
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado | Aécio Neves

A Procuradoria-Geral da República afirma que o ex-governador de Minas Gerais recebeu R$ 65 milhões em propina

Aécio Neves
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
-Publicidade-

Nesta quinta-feira, 30, a Procuradoria-Geral da República denunciou o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com a acusação, o parlamentar teria recebido R$ 65 milhões em propina de duas construtoras quando exerceu os cargos de governador de Minas Gerais e senador.

Na denúncia apresentada pela PGR ao Supremo Tribunal Federal (STF), Aécio teria recebido R$ 30 milhões da Odebrecht e R$ 35 milhões da Andrade Gutierrez. As companhias, em contrapartida, teriam sido beneficiadas em obras de infraestrutura, como as usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, como informa a revista Veja.

“As provas coligidas na investigação demonstraram a existência de um pernicioso e perene esquema de troca de favores, cujo epicentro é Aécio Neves, configurando um sistema institucionalizado de corrupção”, afirmou na denúncia a subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo. Também foram acusados o empresário Alexandre Accioly e o ex-diretor de Furnas Dimas Toledo.

O STF vai avaliar se aceita a denúncia apresentada pela PGR contra Aécio. O deputado já é réu no Supremo em outra ação, acusado de receber propina da JBS. Aécio, assim como o então presidente Michel Temer (MDB), foi gravado por um dos donos do frigorífico, o empresário Joesley Batista.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

  1. Ele pode se considerar livre de qualquer possibilidade de prisão. Um STF com Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Dias Toffoli, Celso de Mello, Alexandre de Moraes, Lewandowiksi é uma mãe de perna aberta para os corruptos de plantão.

    1. Não sei como a turma do STF consegue dormir à noite , pois durante o dia não fazem nada do que deveriam fazer. Colocar a cabeça no travesseiro e dormir, não conseguem, pois a consciência não deixa, aliás grande parte do judiciário está nessa situação. Um dia isso vai mudar, com certeza!

  2. Não vai acontecer nada. Já tem o processo da JBS que não sai do lugar. Há muito que o STF deixou de ser uma corte de justiça. É uma instituição a serviço da ORCRIM.

  3. Tem uma também engavetada,contra um certo Botafogo,mas agora que o Bolsonaro fez pacto com o capetão,digo,centrão,já era!

  4. Não leio as reportagem, em OESTE, CRUSOÉ, GLOBOLIXO, FOLHA, que trate da PRISÃO em SEGUNDA instância e fim do foro privilegiado. Sei que todos são comunistas e participam de um CONLUIO bem montado, como os parceiros de ORCRIMS de trafego de armas, de drogas, de bebês, de mulheres, lembrando estórias da escravidão.
    Mas cacete, ainda temos q pagar pra ler essas piadas? Li hj aqui na Revista, um assinante, qualificou nós brasileiros como o QUARTO PODER. Sempre concluí ser a imprensa, mas à partir de hj, assim esclarecido, SOMOS NÓS ELEITORES O QUARTO PODER, e é iminente a PRESTAÇÃO DE CONTAS com o LEGISLATIVO brasileiro, PRISÃO em SEGUNDA instância e fim do foro privilegiado ocorrerão antes da próxima Primavera. Quem viver, verá.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site