Bolsonaro cogita decreto para liberar todos de volta ao trabalho

Intenção do presidente da República é ajudar a reaquecer a economia brasileira de forma gradual
-Publicidade-
Foto: Marcos Corrêa/PR
Foto: Marcos Corrêa/PR

Intenção do presidente da República é ajudar a reaquecer a economia brasileira de forma gradual

Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo, 29, que cogita assinar um decreto para permitir que todas as profissões possam voltar a trabalhar. Bolsonaro tem sido contra medidas restritivas impostas por governadores em alguns Estados em razão da pandemia do novo coronavírus.

-Publicidade-

Com receio de colapso na economia, ele defende a abertura gradual do comércio para evitar uma crise e a prática do “isolamento vertical”, que envolveria apenas as pessoas que se encontram no grupo de risco. “Não sei se vou fazer, mas estou com vontade de baixar um decreto amanhã”, disse o presidente. Ele declarou que a medida vai possibilitar ao trabalhador “levar arroz e feijão para a sua casa”.

Apesar disso, o presidente destacou que ainda precisa fazer uma avaliação técnica sobre a viabilidade da medida. Integrantes do Congresso são contra. Um decreto presidencial tem validade imediata, podendo ser contestado por parlamentares apenas por meio de um projeto de decreto legislativo.

Na manhã deste domingo, Bolsonaro foi às ruas do Distrito Federal e apoiou comerciantes a volta ao trabalho.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Infelizmente tornaram a situação em palanque politico, alguns governadores inclusive o nosso de sc que se elegeu nas costas do presidente!!

  2. O presidente Bolsonaro tem o meu apoio e de minha família que são mais de 20 pessoas! A maioria da população está com o Presidente!

  3. Nem oito e nem oitenta. O risco de expodição ao vírus é real, embora se saiba que mais cedo ou mais tarde isso tenha que acontecer para se alcançar a imunização coletiva. Por outro lado, ninguém pode alegar desconhecer os males que o isolamento provoca, principalmente aos mais vulneráveis – entre eles a fome e o desemprego. A solução para a questão parece repousar na modulação das medidas: onde há maior número de infectados e risco iminente de colapso nos serviços da saúde, isolamento social total; onde não ainda haja esse risco, isolamento parcial dos grupos de risco.
    Mas, reconheço, falar é fácil. Difícil e tomar a decisão mais acertada.
    Que Deus ilumine os nossos governantes!

  4. Está certo o presidente. Esses governadores e prefeitos, junto com o sensacionalismo de parte da imprensa, estão criando um caos no país. O mundo já passou por tantas epidemias, mas nunca precisou restringir o direito de ir e vir das pessoas. É preciso que o governo federal restaure a ordem no Brasil.

    1. Concordo, quem está fora do grupo de risco deve voltar ao trabalho. O país não pode parar totalmente, temos muitas pessoas que não tem emprego com registro e a comida já acabou. Não é uma decisão fácil.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.