Bolsonaro está determinado a seguir com reformas, diz Guedes

Ministro afirmou que a retomada das atividades precisa ser devagar para respeitar protocolos de saúde, mas garantiu que o governo não vai "ficar parado"
-Publicidade-
Prsidente da República, Jair Bolsonaro durante reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes. | Foto: Isac Nóbrega/PR
Prsidente da República, Jair Bolsonaro durante reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes. | Foto: Isac Nóbrega/PR

Ministro afirmou que a retomada das atividades precisa ser devagar para respeitar protocolos de saúde, mas garantiu que o governo não vai “ficar parado”

Jair Bolsonaro - Paulo Guedes
Presidente da República, Jair Bolsonaro durante reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes | Foto: Isac Nóbrega/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira, 3, que o presidente Jair Bolsonaro está “determinado” a continuar com as reformas estruturais.

-Publicidade-

Em live promovida pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base, Guedes voltou a traçar um prognóstico positivo para a recuperação da atividade econômica.

“O presidente está determinado a seguir em frente (com reformas), e o Congresso é reformista”, disse Guedes, logo após declarar que o Brasil vai “surpreender o mundo” com sua dinâmica política.

No mês passado, Bolsonaro afirmou que a reforma administrativa deve ser enviada apenas no ano que vem e defendeu uma versão “enxuta” da reforma tributária.

Já o ministro da Economia disse que a reforma administrativa ainda está na pauta, mas não se comprometeu com datas de envio da proposta.

Para Guedes, se o governo e o Congresso trabalharem fortemente nos próximos três ou quatro meses, haverá um cenário “muito favorável” para o ano que vem.

“Aí sim podemos dizer que recuperação será em V”, afirmou o ministro, reconhecendo que seria um V mais aberto (refletindo uma retomada um pouco mais lenta).

Guedes admitiu que houve “semanas muito difíceis” em que o crédito não estava chegando na ponta, apesar das ações para garantir liquidez às empresas nesse momento de dificuldade.

No entanto, ele afirmou que as medidas foram aprimoradas e que “nos próximos 60, 90 dias, o dinheiro terá chegado”.

Com informações do Estadão Conteúdo.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Vamos fazer o simples, finalizar as obras em andamento, as paradas, combater a corrupção e fazer uma ampla reforma administrativa, além de acabar com os privilégios.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.