Entidades lançam manifesto em apoio à desoneração da folha

Empregadoras de 8 milhões de trabalhadores do setor de serviços lançam manifesto em apoio à desoneração da folha e, consequentemente, à reforma tributária de Guedes. Leia o documento na íntegra
-Publicidade-
Reforma tributária pode acelerar crescimento econômico, diz Ipea | Foto: Domínio Público/PxHere
Reforma tributária pode acelerar crescimento econômico, diz Ipea | Foto: Domínio Público/PxHere | reforma tributária, ipea, unificação de impostos

Empregadoras de 8 milhões de trabalhadores do setor de serviços lançam manifesto em apoio à desoneração da folha e, consequentemente, à reforma tributária de Guedes. Leia o documento na íntegra

reforma tributária, ipea, unificação de impostos
Reforma tributária pode acelerar crescimento econômico mediante a geração de empregos, defendem empresas do setor de serviços ao cobrar a desoneração da folha | Foto: Domínio Público/PxHere

As empresas do setor de serviços começaram a se movimentar para defender a desoneração da folha de pagamento. Conforme Oeste antecipou, entidades do setor terciário lançaram um manifesto (leia abaixo) para apoiar a reforma tributária do ministro da Economia, Paulo Guedes, que defende retirar encargos previdenciários das costas das empresas.

-Publicidade-

O manifesto, obtido com exclusividade por Oeste, foi assinado por entidades que representam 8 milhões de empregos no país. Mesmo não sendo o total empregado pelo setor, o número equivale a 25,7% dos  trabalhadores empregados com carteira assinada no acumulado do trimestre encerrado em maio deste ano, aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A iniciativa leva a assinatura da Central Brasileira do Setor de Serviços (Cebrasse). Outras 53 entidades endossam o manifesto. Elas destacam que o setor de serviços é o que mais emprega, arrecada, sendo responsável por dois terços da economia. Sustentam, ainda, que é a atividade econômica que mais sofre com o grande volume de impostos na folha.

As entidades destacam que a tributação sobre a folha de pagamento no Brasil é de 43%. “Uma das maiores do mundo. Nos Estados Unidos, a tributação é de 29%, e no Chile, 9%”, criticam. Frisam, também, que há 13 milhões de desempregados no país — “sendo que o setor é o que tem mais capacidade de gerar empregos”.

Contrapartidas

O documento em apoio à desoneração da folha lembra que o presidente Jair Bolsonaro vetou a prorrogação da desoneração da folha para 17 setores até 2021, por meio da sanção da Medida Provisória (MP) 936. E defendeu a concessão da desoneração a todos os setores. Por isso, sinalizou a defesa à reforma tributária de Guedes.

A ideia de Guedes é retirar os encargos previdenciários das costas das empresas por meio da aprovação de um tributo sobre transações eletrônicas. As entidades acenaram com a defesa à pauta. “Propostas de contrapartidas sobre movimentações eletrônicas e digitais são bem-vindas e aceitas por nós, desde que empregar no Brasil, a melhor política social de todas, passe a ser viável”, sustenta o manifesto.

Reprodução/Cebrasse
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Na torcida para que essa medida seja levada adiante, o Brasil precisa parar de punir empresários e diminuir os encargos trabalhistas na folha de pagamento. Como dizia Reagan “o melhor programa social é o emprego”.

  2. A desoneração da folha é primordial para alavancar a geração de emprego pós pandemia. As empresas estão sufocadas sem conseguir contratar mais por conta de tanto imposto.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.