-Publicidade-

Esquerda trava PL que dobra pena para crimes de corrupção

Proposta chegou a entrar na pauta da Câmara, mas deputados do PT e do PCdoB negaram acordo para aprovar o PL
Jandira Feghali negou acordo para votar o projeto | Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Jandira Feghali negou acordo para votar o projeto | Michel Jesus/Câmara dos Deputados | PL

Proposta chegou a entrar na pauta da Câmara, mas deputados do PT e do PCdoB negaram acordo para aprovar o PL

PL
Jandira Feghali negou acordo para votar o projeto | Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Deputados do PT e do PCdoB impediram que um projeto de lei (PL) que previa dobrar as penas de vários tipos de crimes ligados ao desvio de recursos públicos fosse votado na Câmara. A proposta chegou ao plenário após um acordo anunciado pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Contudo, durante a sessão a deputada Jandira Feghali (PCdoB), líder da minoria, negou acordo para votação do texto. Em seguida, o deputado petista Reginaldo Lopes afirmou haver “divergência” no partido em relação ao assunto e também pediu adiamento da votação.

De autoria da deputada Adriana Ventura (Novo-SP), o PL 1485/20 atinge casos de corrupção na atual crise da pandemia. Incluem-se no leque de crimes: peculato (apropriar-se de valores), prevaricação (deixar de exercer o que é dever) e concussão (exigir vantagem indevida).

Durante a sessão, a parlamentar chegou a fazer um apelo aos deputados de esquerda. Contudo, foi voto vencido, e a matéria foi retirada da pauta.

“A gente já está chegando ao final da pandemia. Esse projeto é para duplicar a pena dos crimes contra a administração pública durante a pandemia. Deixa a gente votar, porque muitos recursos estão sendo desviados”, argumentou Adriana.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês