Lei de aborto ‘é assunto para o Congresso’, diz Damares

Ministra afirma que governo vai proteger garota de dez anos estuprada
-Publicidade-
A ministra Damares Alves: apoio à garota de dez anos que enfrentou procedimento de aborto no ES | Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL
A ministra Damares Alves: apoio à garota de dez anos que enfrentou procedimento de aborto no ES | Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL | damares alves - aborto - governo federal

Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos afirma que governo vai proteger garota de 10 anos estuprada no Espírito Santo

damares alves - aborto - governo federal
A ministra Damares Alves: apoio irrestrito à garota de 10 anos que enfrentou procedimento de aborto no Espírito Santo | Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL

O assunto relacionado à menina de 10 anos que passou por procedimento de aborto, pois engravidou do tio de quem sofria abusos sexuais, ganhou na noite desta quinta-feira, 27, a atenção de uma integrante do primeiro escalão do governo federal. Presente na live semanal realizada pelo presidente Jair Bolsonaro, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, falou de leis e do interesse em amparar a menina estuprada.

-Publicidade-

Leia mais: “Damares é pop”

Na parte legal, a ministra rechaçou qualquer possibilidade de o Poder Executivo movimentar-se para alterar as regras referentes a aborto no país — que é permitido em casos de abuso sexual, por exemplo. Nesse sentido, ela enfatizou que se alguma mudança ocorrer será a partir de projetos elaborados por deputados federais ou senadores. “O governo Bolsonaro não vai apresentar nenhuma proposta para mudar a atual legislação de aborto. Isso é assunto para o Congresso Nacional, que se decida por lá.”

“A gente vai proteger essa menina em tudo o que ela precisar”

Apoio à vítima

De acordo com Damares, a ação do governo federal será proporcionar apoio à jovem. Apoio que, conforme anunciado pela ministra, não será por tempo determinado e que vai avaliar até o ambiente que será melhor para ela seguir a vida. “O que nós vamos fazer é, especialmente nesse caso, continuar acompanhando. E a gente vai proteger essa menina em tudo o que ela precisar. Inclusive, saber se ela vai ficar com a família ou em algum outro lugar. Vamos dar o acompanhamento a essa menina até o final das investigações.”

Outros assuntos

Como de costume, a live presidencial da vez abordou mais de um tema. Rapidamente, Bolsonaro destacou que novamente marcou presença no Nordeste (esteve na semana passada em Ipanguaçu, cidade do interior potiguar). Afirmou que o auxílio emergencial, que seguirá até o fim do ano, ficará entre R$ 200 e R$ 600. E mais uma vez acusou a esquerda de tentar politizar o tratamento contra a covid-19, pois relatou que alguns Estados não pediram para o governo enviar cloroquina — medicamento usado pelo próprio presidente na luta contra o vírus chinês.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.