Revista Oeste - Eleições 2022

Moraes diz que PCO usa dinheiro público para ataques ao STF

Ministro incluiu o partido de esquerda no inquérito das fake news, depois de ser chamado de “skinhead de toga" na internet
-Publicidade-
Alexandre de Moraes fez intimação contra Rui Costa Pimenta, do PCO
Alexandre de Moraes fez intimação contra Rui Costa Pimenta, do PCO | Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Ao incluir o Partido da Causa Operária (PCO) no inquérito das fake news na quinta-feira 2, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acusa o partido de usar dinheiro público para cometer práticas criminosas.

Moraes determinou a intimação de Rui Costa Pimenta, presidente do PCO, em cinco dias, em razão de ataques ao STF e ao Estado Democrático de Direito. Além disso, estabeleceu o bloqueio dos perfis do partido no Facebook, no Instagram, no Telegram, no Twitter, no YouTube e no TikTok. O magistrado pediu a preservação do histórico de conversas e posts das contas do partido na internet.

O ministro usou como argumento um tuíte em que a legenda de esquerda o chama de “skinhead de toga” e defende a dissolução do STF.

-Publicidade-

“Efetivamente, o que se verifica é a existência de fortes indícios de que a infraestrutura partidária do PCO, partido político que recebe dinheiro público, tem sido indevida e reiteradamente utilizada com o objetivo de viabilizar e impulsionar a propagação das declarações criminosas, por meio dos perfis oficiais do próprio partido, divulgados em seu site na internet“, escreveu Moraes.

“Portanto, há relevantes indícios da utilização de dinheiro público por parte do presidente de um partido político — no caso, o PCO — para fins meramente ilícitos, quais sejam a disseminação em massa de ataques escancarados e reiterados às instituições democráticas e ao próprio Estado Democrático de Direito, em total desrespeito aos parâmetros constitucionais que protegem a liberdade de expressão.”

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) repassou, em média, R$ 1,1 milhão ao PCO entre 2016 e 2018, por meio do fundo partidário. No entanto, depois do desempenho eleitoral ruim em 2018, a sigla deixou de contar com o instrumento de financiamento.

No Twitter, Pimenta classificou a atitude de Moraes como “censura”. “Hoje, no Brasil, ter determinada opinião política é crime”, observou Pimenta. “Não é agora, sempre lutamos contra isso.”

Inquérito das fake news

Até o momento, o inquérito das fake news apenas abrangia apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. O deputado federal Daniel Silveira (PTB-RS) e o jornalista Oswaldo Eustáquio chegaram a ser presos.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.