Mulheres argentinas fazem greve para apoiar legalização do aborto

As manifestações e greves acontecem em defesa do projeto de lei do Poder Executivo para garantir a interrupção voluntária da gravidez As ações estão previstas para começarem a partir das…
-Publicidade-

As manifestações e greves acontecem em defesa do projeto de lei do Poder Executivo para garantir a interrupção voluntária da gravidez

As ações estão previstas para começarem a partir das 17h (também horário de Brasília) em frente ao Congresso Nacional.

Alguns sindicatos apoiam a greve de mulheres e convocaram uma paralisação das atividades por 24 horas, de acordo com a Rádio França Internacional.

-Publicidade-

Em seu discurso na Assembleia Legislativa em 1º de março, o presidente Alberto Fernández anunciou o envio de “uma lei que legalize o aborto no tempo inicial de gravidez e permita às mulheres acessar o sistema de saúde se tomarem a decisão de abortar”.

Em 2018 uma iniciativa nesse sentido foi aprovada pela Câmara dos Deputados em primeiro turno.

Mas foi rejeitada logo depois no Senado. O ex-presidente liberal Mauricio Macri (2015-2019), que inicialmente apoiou o debate parlamentar sobre o tema, acabou se declarando “a favor da vida”.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.