Rio impõe o passaporte sanitário para entrada em estabelecimentos

Documento também vale para quem quiser marcar cirurgias eletivas
-Publicidade-
Medida passa a valer a partir de 1° de setembro
Medida passa a valer a partir de 1° de setembro | Foto: Andre Melo Andrade/Estadão Conteúdo

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta sexta-feira, 27, que exigirá o passaporte sanitário contra a covid-19 “para o acesso e permanência do público no interior de estabelecimentos e locais de uso coletivo”.

Conforme definiu o decreto, também será obrigatório mostrar o documento, caso o paciente realize “cirurgias eletivas em unidades de saúde públicas e privadas”. As exigências começam a valer a partir do dia 1º de setembro.

Os cidadãos poderão mostrar o comprovante de imunização tanto da primeira quanto da segunda dose. No caso dos estabelecimentos e pontos turísticos, caberá aos funcionários controlar a entrada e saída das pessoas.

-Publicidade-

Entre outros estabelecimentos, a nova lei abrange: academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento e de condicionamento físico, clubes sociais, cinemas, teatros, museus e feiras comerciais.

Leia também: “O escândalo do passaporte sanitário”, artigo de Guilherme Fiuza publicado na Edição 58 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro