STF pode ganhar mais dois evangélicos, afirma Bolsonaro

'Se eu for candidato e se eu for reeleito, a gente coloca dois no início de 2023', disse o presidente
-Publicidade-
A declaração de Bolsonaro foi concedida a apoiadores
A declaração de Bolsonaro foi concedida a apoiadores | Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro deu sinais nesta segunda-feira, 6, que indicará mais dois evangélicos para o Supremo Tribunal Federal (STF). “Se eu for candidato e se eu for reeleito, a gente coloca dois no início de 2023 lá no STF”, disse.

A declaração foi concedida a apoiadores que interpelaram Bolsonaro sobre o ex-advogado-geral da União André Mendonça. Durante a campanha, o presidente prometeu que indicaria um evangélico para a Corte.

“Não mando nos votos do STF, mas são dois ministros que representam, em tese, 20% daquilo que nós gostaríamos que fosse decidido e votado”, observou Bolsonaro, em alusão ao ministro Nunes Marques, que é católico.

-Publicidade-

O canal Foco do Brasil, no YouTube, captou a conversa em uma live sobre a possibilidade de mais dois evangélicos no STF.

Preconceito contra Michelle Bolsonaro

A primeira-dama Michelle Bolsonaro se tornou alvo de preconceito religioso depois de aparecer orando nos corredores do Senado. Ela celebrava a aprovação do nome de André Mendonça, ex-advogado-geral da União, para o cargo de ministro do STF.

Nas imagens, a primeira-dama aparece pulando de forma efusiva e recitando palavras que, de acordo com os evangélicos neopentecostais, são uma manifestação do Espírito Santo. Em seguida, Michelle abraça Mendonça e seus familiares, agradecendo a Deus pelo resultado da sabatina.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.