Pular para o conteúdo
publicidade
Ilustração: Revista Oeste/IA
Edição 220

Discurso de posse

Ódio para combater o ódio

Guilherme Fiuza
-

Assumo esta presidência declarando guerra ao ódio. Prometo acabar com o ódio. Trucidar o ódio. Fazer picadinho do ódio. Exterminar o ódio. Eu odeio o ódio. O ódio desperta os meus instintos mais primitivos. Minha gestão será de paz e amor.

Prometo ser intolerante com a intolerância. E quem for contra a democracia eu prendo e arrebento.

Não suporto violência. É a expressão mais baixa da humanidade. Por isso criarei um órgão de inteligência (eu amo a inteligência) para prevenir atos violentos. Vamos agir muito antes do fato brutal se consumar. Vamos mapear e fichar todo mundo que tiver pinta de violento. Nosso Conselho Superior de Aferição de Tendências Psicoemocionais para Condutas Fascistas (CSATPCF) avaliará um por um dos suspeitos. Quem for considerado perigoso será aniquilado em nome da paz. Basta de condescendência com os propagadores do ódio.

Temos visto as trevas avançando céleres pelas pradarias digitais; o adestramento perverso do algoritmo pelos inimigos hediondos da democracia; as catacumbas eletrônicas das pulsões ignaras fermentando o convite mórbido à apropriação da pessoa humana em favor do mal encarnado pelos negacionistas da luz civilizatória. Este parágrafo com certeza o telejornal vai botar.

Desculpem, só estava pensando alto.

Ilustração: Shutterstock

Continuando, prometo rigor implacável contra a desinformação bestial, esse flagelo contemporâneo que corrói a ética, a empatia, a cibernética e a epistemologia. Caramba, esse discurso tá inspirado demais. Prosseguindo, na minha gestão não haverá espaço para as teorias conspiratórias, para o racismo climático, para o machismo tóxico e botóxico (ficou bom isso?), enfim, para o assédio cosmofóbico — que é uma forma moderna de preconceito cósmico, ou seja, discriminação contra todas as formas de vida por parte desses trogloditas que jamais alcançarão a profundidade poética do meu discurso iluminista pós-erudito com lascas de salmão norueguês.

Aliás, vamos ao rega-bofe, que ninguém é de ferro. Viva a democracia!

Leia também “Retrato falado da ‘desinformação'”

19 comentários
  1. MB
    MB

    E sobre a ência da essência da fitofilosofonia da ciência espacial, você não vai falar nada?

  2. Renato Borges Fagundes
    Renato Borges Fagundes

    Você é excelente, Fiuza. Texto para ninguém botar defeito.

  3. Vera Lucia Latini Sampaio
    Vera Lucia Latini Sampaio

    Bravo Fiuza, adoro a sua matéria!

  4. Candido Andre Sampaio Toledo Cabral
    Candido Andre Sampaio Toledo Cabral

    Grande Guilherme Fiuza.

  5. Eduardo
    Eduardo

    Polícia do Pensamento e Ministério do Amor atuando juntos rssss

  6. Teresa Guzzo
    Teresa Guzzo

    Excelente crítica com humor a 🧙‍♀️ que ama democracia e a liberdade, só resta enfim irmos para nosso rega bofe.

  7. Frederico Oliveira dos Santos Melo
    Frederico Oliveira dos Santos Melo

    Muito bom!

  8. Aeduardo
    Aeduardo

    Extraordinário o grande Fiúza como ‘ghost writer’.Totalmente capacitado como assessor muito bem remunerado e técnico do time ( são onze!) da excelsa e ínclita corte judicial superior do aldeamento Terra de Santa Cruz!

  9. Vanda Chaves
    Vanda Chaves

    Sempre gostei da forma inteligente como analisa os fatos. Agora está melhor ainda. Grande FÍUZA!

  10. Erasmo Silvestre da Silva
    Erasmo Silvestre da Silva

    Bota o covil de ladrões todos os onze e os que saíram também na jaula

  11. Robson Oliveira Aires
    Robson Oliveira Aires

    Perfeito!

  12. Mirian Guimarães
    Mirian Guimarães

    Sensacional!!!

  13. Denis R.
    Denis R.

    Que ódio mais amoroso! Comovente.

  14. Vagner Antonio Monteiro
    Vagner Antonio Monteiro

    como esse cara escreve fácil… verdades escancaradas com pitadas de bom humor… dá até ódio !

  15. Helcio Jose Pinto Rodrigues
    Helcio Jose Pinto Rodrigues

    Super, como sempre.

  16. Herbert Gomes Barca
    Herbert Gomes Barca

    hahahahahá maravilhoso artigo Guilherme Fiuza
    foi inspirado nos comentários do pavão do STF
    “vulgo boca de veludo”
    gosta de falar difícil com palavras emblemáticas

    mais na real não passa de uma PAVÃO

  17. Maurício Condé de Almeida Baptista
    Maurício Condé de Almeida Baptista

    Genial, como sempre.

  18. Osmar Martins Silvestre
    Osmar Martins Silvestre

    Muitíssimo bom. Tomou posse em grande estilo. Ficaram todos possuídos e achando que foi bom demais.

  19. Marbov
    Marbov

    Esse discurso de posse está me parecendo plágio modificado pelo algorítimo tóxico facista do ChatGPT, kkk

Anterior:
Babá de marmanjo
Próximo:
A vontade do povo
Newsletter

Seja o primeiro a saber sobre notícias, acontecimentos e eventos semanais no seu e-mail.