O astro do faroeste à brasileira

Gilmar Mendes lidera o elenco de ministros que soltam bandidos e perseguem o xerife

As obras que inauguraram o faroeste à brasileira, surgido na primeira década deste século, patentearam uma fórmula mais audaciosa que qualquer ousadia do Cinema Novo. Os roteiros viram pelo avesso os similares norte-americanos. É o bandido que persegue o mocinho, é o vilão que vive tentando prender o xerife, as mulheres bonitas são cúmplices dos delinquentes e o final é infeliz para gente honesta: os fora da lei acabam se livrando da cadeia. Foi assim, por exemplo, em O Mensalão Não Existiu, um clássico do gênero. Alguns figurantes foram transferidos do semianonimato para a gaiola. Mas os oficiais graduados do exército de gatunos nem esquentaram o merecidíssimo catre. Logo devolvidos à liberdade, seguiram berrando que a roubalheira foi uma invencionice de inimigos dispostos a tudo para minar a popularidade do chefão que dormia sonhando com a erradicação da pobreza e acordava planejando o sumiço da miséria absoluta.

Essas manifestações de cafajestagem farisaica, elevadas à categoria de arte nos oito anos de governo Lula, parecem coisa de principiante se confrontadas com a safra mais recente de faroestes à brasileira. Agora, os bandidos perseguem o mocinho e os vilões buscam prender o xerife com a ajuda de integrantes do grupo formado por 11 juízes que podem julgar qualquer coisa ou decidir o destino de qualquer vivente e não podem ser julgados por ninguém. São nove homens e duas mulheres, que se reúnem no Supremo Tribunal Federal. Todos cobrem com togas negras o terno escuro-Brasília ou o vestido missa das 10 no interior. Entram no plenário em fila indiana, para a abertura da sessão ou para recomeçá-la, com o semblante severo de quem chegou ao velório no momento do fechamento do caixão. Falam um dialeto inacessível a quem só fala língua de gente. Referem-se uns aos outros como “eminente ministro” (ou “eminente ministra”). Alternam o latinório com citações de juristas alemães ou italianos. O mais antigo da turma é chamado de “decano”.

Bonito é pouco para qualificar o buquê de pompas e fitas. Feio é pouquíssimo para definir o papelão que anda fazendo a maioria dos doutores em tudo. Neste fevereiro sem Carnaval, o elenco se divide entre os discípulos de Gilmar Mendes e os outros. Já faz tempo que Ricardo Lewandowski, Dias Toffolli e Alexandre de Moraes se orientam pela palavra do Mestre, que anda se gabando de ter transformado o trio em quarteto com a anexação de Cármen Lúcia. Se não estiver mentindo, e contando com o líder da bancada, já são cinco. Único indicado por Jair Bolsonaro, Kássio Marques ainda engatinha no Pretório Excelso. Mas o bloco se tornará majoritário caso o caçula continue percorrendo caminhos que levam ao colo de Gilmar Mendes. Se tal desastre for consumado, tirem as crianças da sala quando os seis derem as caras na TV Justiça. E preparem o estômago, reiterou nesta semana o desempenho de Gilmar, Cármen Lúcia, Lewandowski e Marques na sessão da Segunda Turma que fez o diabo para transformar um corrupto juramentado em vítima de medonhas injustiças, Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato em algozes desalmados e a mais produtiva operação anticorrupção de todos os tempos numa tentativa de assassinato do direito de ampla defesa e do devido processo legal. Haja cinismo.

A trupe de Gilmar faz de conta que o ex-presidente foi alvo de complô

Em tese, os ministros estavam numa sala do STF para decidir se Lula deveria ou não ter acesso a mensagens supostamente trocadas por profissionais engajados na Lava Jato e furtadas por hackers. Quem vê as coisas como as coisas são enxergou nitidamente o último ensaio dos canastrões empenhados em anular a condenação de Lula pelas maracutaias que envolveram o tríplex no Guarujá. Até as cadeiras do Supremo sabem que promotores de Justiça e magistrados costumam conversar sobre processos e investigações em andamento. Sabem que o conjunto de mensagens apenas reitera que Moro e os procuradores trabalharam unidos para desmontar o maior esquema corrupto da história. Sabem que nenhum inocente foi preso. Sabem que a condenação imposta por Moro foi ratificada pelo Tribunal Regional Federal. Mas a trupe de Gilmar faz de conta que o ex-presidente foi alvo de um complô de dimensões siderais arquitetado por gente que só pensa em prender gente que presta. O líder da bancada, claro, foi o protagonista do teatrão de quinta categoria.

(Alguns leitores hão de lembrar do velho Victor Mature em Sansão e Dalila. A força de Sansão estava nos cabelos. Mas o intérprete se concentrava nas sobrancelhas. Obedientes ao script, e orientados pelos sentimentos a traduzir — paixão, fúria, angústia, altivez —, os tufos de pelos subiam e desciam, moviam-se para os lados, juntavam-se no centro da testa ou estacionavam em perfeita simetria.  Se quisesse, Mature poderia ficar mudo do início ao fim do filme. Falariam por ele as sobrancelhas. O ator Gilmar Mendes não consegue dispensar a voz, o olhar e o suporte gestual quando se exibe no palco do Supremo. Mas a performance não teria nada de mais se não fosse o beiço. O estranho fruto produzido pelo abraço dos lábios é para o superministro o que foram as sobrancelhas para Victor Mature.)

O beiço fez o possível para convencer a plateia de que Gilmar nunca vira nada tão revoltante quanto o comportamento dos responsáveis pela devassa do escândalo do Petrolão. Projetou-se como o braço do pugilista que desfere um direto de direita, por exemplo, quando o orador despejou o palavrório decorado dias antes: “Em algum lugar mais sensível e talvez mais ortodoxo em matéria de Direito, é de se dizer: essa gente estava se permitindo torturar pessoas”. O ministro não identificou os torturados, nem esclareceu se Lula está entre eles. O beiço garantia que Gilmar estava dominado pela perplexidade. A folha corrida informa que ele só fica perplexo com sentenças condenatórias. Como demonstrou Ana Paula Henkel num artigo publicado nesta Oeste, nenhuma absolvição é capaz de deixá-lo assombrado.

Entre outras obscenidades, o ministro livrou da cadeia o doutor em estupro Roger Abdelmassih, o vendedor de nuvens Eike Batista, oficiais graduados do bando de Sérgio Cabral, o irrecuperável Anthony Garotinho, o amigo José Riva (recordista de bandalheiras em Mato Grosso), o parceiro Silval Barbosa (ex-governador do Estado em que Gilmar nasceu e ladrão compulsivo) e o compadre Jacob Barata (chefão da máfia dos transportes no Rio). A fábrica de habeas corpus que administra nos porões do Supremo funciona também em fins de semana e feriados. Gilmar não se espanta com nada. O Brasil decente é que não para de espantar-se com a desfaçatez do ministro que na metade deste ano se tornará o decano do Supremo. Ele sempre sonhou com o posto que fez de Celso de Mello o Pavão de Tatuí. Antes mesmo de chegar lá, o padroeiro dos culpados capricha na pose de Maritaca de Diamantino.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

86 comentários

      1. Sensacional Augusto! Deus um dia acordará p julgar esse senhor.

      2. Adorei muito a acunha
        “” A
        Maritaca de Diamantino'” Gargalhei!!???

      1. Augusto Nunes, Deus lhe brindou com o dom da palavra! Não sei se neste momento é bom ou ruim, porque ao mesmo tempo que vc nos acalma traduzindo o nosso sentimento, deixamos de nós indignar de forma mais contundente, porque esse circo está indo longe demais!!!! Vc é a nossa “válvula de escape”.

    1. E os cinco restantes seriam moídos para fazer ração e alimentar as serpentes do Butantã, enquanto aguardam para que extraiam o veneno que se transformara em Soro antiofídico.

  1. Sua Excelência Gilmar The First aprontou tantas pedaladas que se não a escassez de culhões no Senado Federal já teria sido defenestrado do STF

    1. O gilmar leu, com certa dose de satisfação, os diálogos roubados por hackers e aceitos como material legal pelo stf. Coçava a papada enquanto interpretava o produto do roubo. Patético. Pífio.

  2. Primoroso artigo Augusto !
    Somente um complemento – esse “beiço falante” pertence a uma “boca de caçapa”, que engole a corrupção, mastiga e tritura a Justiça – e ao final, regurgita bandidos. Uma vergonha para o Brasil.

      1. Prezado Augusto, saiba que dependemos de vcs, jornalistas sem viés, para que continuemos com fé e esperança no país. Vc e os colegas da revista têm o meu (nosso) respeito.

  3. Nos Estados Unidos a Supreme Court está composta por juizes indicados por democratas e republicanos, sendo que hoje a maioria pertence aos “reds”. A grande diferença é que um percentual enorme de cidadãos os respeita, porque nenhum deles julga com base na ideologia e sim segundo a Constituição.
    Já no Brasil , o “stf”” virou uma pocilga onde Gilmar. Lewandowski, Moraes, Toffoli e companhia chafurdam e interpretam a carta magna de acordo com seus interesses.
    Tem que ser destituídos do cargo. Já passou da hora.

    1. Alberto, eu também pensava como você a respeito da Supreme Court até a última eleição presidencial, quando essa Corte e as demais que compõem o Judiciário daquele país se negaram a examinar as evidências abundantes de fraude cometidas pela turma do Biden. Infelizmente, não dá mais para acreditar nem na Corte Suprema americana.

      1. Calma, Rodrigo. Por enquanto os Juizes da Suprema Corte tem a legalidade ao lado deles….La os Estados tem soberania para promover as eleições. O Presidente ou um candidato qualquer NAO CONSTITUE PARTE LEGITIMA para questionar diretamente a apuração eleitoral PERANTE A SUPREMA CORTE….mas qualquer ESTADO DA CONFEDERAÇÃO, EH. Isto se confirmara no dia 19 de fevereiro, quando será apreciado o questionamento levantado pelo Estado do Texas e outros. Ai o Trump podera figurar como LITIS CONSORTI, prejudicado pelo resultado fraudulento das urnas.

  4. Simplesmente espetacular; parabéns Mestre Augusto!
    Caberia uma manifestação do Alto Comando do Exercito, que poderia dar mais um recado, como aquele ocorrido pelo nosso Ilustríssimo general Villas Bôas, na véspera do julgamento que poderia ter libertado o Lula em 2018. Naquela ocasião, um dos motivos era o aumento de pedidos de intervenção militar pelos empresários e pessoas da sociedade (povão). Hoje, vivemos uma situação pior ainda, essa mesma sociedade está sendo julgada e daqui a pouco, estará no banco dos réus: FALTA POUCO PARA O STF CONCLUIR QUE FOMOS NÓS QUE ROUBAMOS O LULA”.

      1. As analogias entre a personalidade amoral de Gilmar “Beiçola” Mendes, e a de Macunaíma, o herói nacional sem caráter, vão muito além da semelhança entre os beiços: o do genial Grande Otelo, ator que representou Macunaíma no telão, e o do juiz Maritaca, personagem da história atual brasileira, que nem mesmo Mário de Andrade poderia fabular em seus maiores delírios literários.

  5. Como sempre, um texto de raro talento, entretanto copioso em qualquer texto de Augusto Nunes. Muitos parabéns, como se diz em Portugal, onde Augusto é muito lido também.

    1. Caso tivéssemos um Senado Federal verdadeiro , sensato e comprometido em proteger o Estado brasileiro , certamente vários julgamentos de Impedimento desses ministros seriam colocados em pauta.

  6. Gilmar Mendes é o maior símbolo da derrocada da justiça brasileira. Ele e os seus seguidores na “alta” côrte estão incluindo as conversas privadas que foram roubadas por hackers no processo do Lula-Carniça. Os ministrécos querem abrir caminho para a suspeição do Sérgio Moro. O objetivo final, claro, é a anulação dos processos contra o ex-presidiário Carniça. O maior ladrão da história do país sendo acobertado por seus capachos no STF! Gilmar no comando!

  7. Sem ter a pretensão de querer corrigi-lo, mestre Augusto, acho que ao invés de escrever “palco do Supremo”, teria sido mais apropriado usar “picadeiro do Supremo”. Afinal lugar de palhaços é no picadeiro. No caso, palhaços sem nenhuma graça.
    O codinome (ou apelido, tanto faz) Maritaca de Diamantino é preciso. É assim que ora em diante irei me referir ao canalha. Espero que todo brasileiro que tenha um pingo de vergonha na cara faça o mesmo.
    FORA, Maritaca de Diamantino; FORA, amigo do amigo do meu pai; FORA, filho da amiga da Marisa, a Inútil; FORA, ajudante de ordens do FHC; FORA, Maga Patalógika; FORA, todo “stf”.

  8. Texto perfeito como tudo que Augusto Nunes escreve. A realidade é triste e fica difícil ler sem sentir náusea. Sonho com dias melhores, do jeito que está, está demais!

  9. E pensar que é o cidadão contribuinte quem sustenta esse circo de quinta categoria!!! Ninguém merece!!! Por favor senhores, tenham respeito e solidariedade ao povo brasileiro e requeiram suas respectivas aposentadorias!!! Não irão perder nada, pois os proventos serão integrais, mas o Brasil certamente ganhará com uma nova composição para o STF. Ninguém é insubstituível!!! Ninguém é indispensável!!!

    1. Arlete, ingenuidade sua achar que eles não iriam perder nada se aposentando. O que eles ganham nesses esquemas ilegais e podres faz o salário deles parecer troco de pinga.

  10. Parabéns Augusto. És dos poucos – assim como o Constantino, o Deputado Daniel Silveira o e o “Bob Jeff” – a dizer na cara daqueles ministrecos o que eles realmente são. STF, hoje, a Instituição mais odiada deste País. Então Senado – que detém os poderes de “impichar esses morcegos – vais continuar embuçado???

  11. Nem li a reportagem, somente o título com o cangaceiro Ciro Gomes.
    Uma vergonha tudo isso não?
    Seus irmãos, o cid, a Guiomar, o clientelismo, o corporativismo, tudo um beiço só!!!

  12. Muito bom. Precisamos de alguém que dê 24 horas para mostrarem o verdadeiro serviço para o qual são MUITO bem pagos esses comedores de lagosta e bebedores de vinhos premiados. Estão na contramão de guardões da Constituição.

  13. Parabéns pelo artigo e pela coragem profissional. Mas, Augusto ficam as perguntas que não podem calar: até quando vamos suportar tudo isso? Como mudar este estado de coisas com um Congresso completamente envolvido? Como ressuscitar a CPI do Lava Toga? Como gritar com uma imprensa submissa e engajada? Essas perguntas prezado Augusto infelizmente ficarão sem respostas para sempre. Esse é o nosso destino?

  14. Se o Senado não tivesse o rabo preso com esta nefasta corte, de há muito teria fechado essa desgraça inútil e perdulária. Para que serve esse amontoado de 11 analfabetos sem nenhum saber jurídico, e defensor da corrupção?

  15. Parabéns pela tua coragem em bater nessa
    turma de bandidos, Augusto !
    Nós, teus leitores e o Brasil, precisam que
    continues batendo forte nesses apátridas !

  16. Crítica clara e objetiva, esta turma do stf (em minúscula mesmo) constitui-se em casta privilegiada que defende a própria casta, em outras palavras ( menos eruditas): bando de hienas defendendo as hienas em bando que só querem estraçalhar a Justiça

  17. Parabéns é pouco. Você se superou. Maritaca de Diamantino, caiu como um luva no beiçola inconstitucional. É pena que as FFAA estão acovardadas, com medo de quem? Da opinião pública é que não é. Pois o POVO (verdadeiro e legítimo detentor do poder), como em 1964 que foi às ruas pedir que as FFAA restabelecesse a ordem e a lei. Vi a reportagem da época, na Revista Manchete, o retrato das grandes capitais: o POVO nas ruas. Tenho a revista e estou disposto a compartilhá-la.

  18. Será que o atual presidente do senado terá a tão sonhada coragem de dar seguimento aos processos de impeachment desses ativistas?

  19. Não me oponho ao texto, mas, lamentavelmente, não vejo jornalismo nele. Não há uma análise dos fatos e sobra tinta suja pra todos os lados. De qualquer forma, vejo que o jornalista, aos poucos, vai se desgarrando de sua preferencia politica. Mas o andamento da orquestra do mal teve um forte apoio de Bolsonaro. Mas para concluir nessa direção, há de se abandonar as cornetas e trompetes e rabiscar uma análise.

  20. Grande artigo. Desanimadora realidade!!
    Entre as obscenidades do ministro beiçola em livrar da cadeia bandidos ricos, só para ficar na lista deste artigo, quanto o beiçola deve ter ganho com estes habeas corpus. Não seremos ingênuos, as bancas de advogados indecorosos pagam uma parte dos honorários para ministros corrupto dos tribunais soltarem seus abastados clientes.
    Até quando?

  21. Ótimo artigo! Agora, ao lado de Guzzo e Fiuza, torço para um desses togados do Supremo, tenha vergonha na cara e mande te prender. Só assim, criando mártires e heróis, o país deve acordar e fazer uma revolução contra essa corja do STF.

  22. Magistral sua matéria Augusto Nunes; mas os delitos deste magistrado estendem para criminosos não conhecidos, cito Paulo Roberto Brunetti, que aplicou o golpe dos precatórios da ordem de R$ 5,4 BILHÕES na receita federal, através do estelionato em várias empresas, sendo que estas estão agora inadimplentes com a receita federal. O meliante foi condenado na primeira, segunda instância SP e no STJ, perdeu o registro da OAB SP. Foi preso em out\2018 e comprou um Hábeas Corpus em nov\2018.

  23. Parabéns Augusto Nunes, sempre com algumas ironias nos proporciona relatos esclarecedores dos procedimentos pouco republicanos e ilegais de membros do poder judiciário.
    A proposito, gostaria que nos informasse mais sobre a famosa Bolsa Ditadura, em muitos casos verdadeiras fraudes que passaram por Comissões de Anistia e TCU sem questionamentos do MPF, de parlamentares, de OAB e quem mais diz praticar JUSTIÇA. Creio que a ministra Damares agradeceria a colaboração da imprensa para provocar o MPF e o Judiciário a revisar judicialmente e penalizar infratores beneficiados e quem os concedeu . É muito recurso público que não é razoável desperdiçar diante de tão grave crise sanitária e econômica. Vale lembrar que teve escritor infantil famoso que ao ser beneficiado dessa imoralidade, disse que se fez justiça, porque teve coragem de xingar militares. Era escritor do Pasquim, e se disse perseguido pela ditadura. Millor Fernandes seu colega de Pasquim ironizando teria dito que “ser preso politico foi um bom investimento”.

  24. Excelente, Augusto! Disse o que as pessoas de bem pensam e gostariam de dizer aos vira-latas do STF. A leitura dos seus textos provoca um misto de raiva e satisfação. Imaginar a cara deslavada dos 11 lacaios lendo esta matéria dá um prazer enorme.

  25. Tu és demais, Augusto !
    Aqui no Rio Grande um amigo chegado às lidas
    do campo chama “aquela figura” de “ boca de
    grumatã “ ( aquele peixe…). !!!

  26. Os preceitos éticos não existe nessa justiça brasileira e não me venham falar de esquerda e direita. Estamos cansado de ver tudo pelo avesso

  27. O mestre Augusto Nunes sempre cirúrgico. Agora, fica a pergunta: depois do deputado Daniel Silveira (que só disse verdades), será que algum “supremo” vai mandar prender o jornalista por chamar Gilmar “HC” Mendes de Maritaca de Diamantino?

  28. Excelente artigo, Augusto, pena que esses canalhas não estão nem aí para o povo honesto. Não Têm um pingo de escrúpulos.

  29. Chefe de quadrilha. Ao entender que Bia Kicks seria a Presidente da Comissão mais importante da Câmara, e autora da ‘PEC da Bengala’, juntou os capangas e informou: “declaração de guerra á Corte”.
    Supostos ‘protetores’ da Constituição, tropeçam no Art 1, e pulam o 2, que diz que “São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o
    Executivo e o Judiciário.”

    Claro, para uma ‘boa ditadura funcionar’, não podem existir poderes independentes: “O Estado sou Eu.”

  30. aUGUSTO NUNES,
    magistral a sua analise !!! estamos diante do PIOR STF da HISTORIA DO BRASIL.
    Nos povo precisamos fazer algo !!!
    não pode continuar com a bandalheira de Gilmar Mendes e seus amigos.

  31. Excelente – e esclarecedor- texto. Caso o Senado mantenha a decisao do STF de manter o deputado preso, podera fechar as portas e entregar as chaves do pais para os supremos juizes da egegia corte……….

  32. “Mestre Augusto” !! Realmente este é o título que melhor ilustra sua Sabedoria, Competência e Ética (todas com letras maiúsculas mesmo!). Parabéns e obrigado por nos dar forças para continuarmos acreditando que este país tem cura!

  33. Obrigada, mestre Augusto, por nos representar tão bem , além de expressar como ninguém nossa indignação com sua fina e bem direcionada ironia. Um prazer imenso ler um artigo tão bem escrito e que , apesar da seriedade do lamentável assunto, ainda consegue me divertir e fazer sorrir. Parabéns de verdade! Uma joia de artigo !!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro