-Publicidade-

Negacionistas são eles

Quem se nega a enxergar as bandalheiras de Lula tem sérias avarias na cabeça

Não existe a verdade de cada um. Há uma só: a verdade factual, que é o contrário da mentira. Não tenho compromisso com o erro: constatado o equívoco, trato de reconhecê-lo, peço desculpas ao leitor e sigo em frente, amparado na certeza de que nunca errei por má-fé. Depois de tantos anos lidando com notícias, aprendi a ver as coisas como as coisas são e a contar o caso como o caso foi. É falso que a história seja escrita pelos vencedores. A versão que difundem tem a duração da sua permanência no poder, porque os fatos não morrem. Frequentemente desmaiam. Às vezes, depois de submetidos a selvagens sessões de tortura, passam longos períodos em estado de coma. Mas acabam recuperando a saúde e acabam triunfando sobre falsidades inevitavelmente frágeis. Brigar com fatos é perda de tempo. É coisa para estrábicos por opção.

Eu estava de férias na França no dia em que ouvi a conversa entre Aécio Neves e Joesley Batista. Conhecera o então senador quando era o secretário do avô Tancredo. Acompanhei com admiração sua trajetória em política, as relações sempre amistosas se estreitaram. Apoiei ostensivamente Aécio na eleição presidencial de  2014 e, mesmo depois da derrota na disputa contra Dilma Rousseff, continuei acreditando que ele ainda chefiaria o governo brasileiro. Naquele dia em Paris, alguns minutos de conversa gravada bastaram para escancarar a verdade: eu fora um dos milhões de iludidos pelo homem que, em tantos anos de estreita convivência, nada aprendera com Tancredo Neves.

Suspendi o período de folga, fui para o hotel e, uma hora depois, enviei o comentário para a Jovem Pan. Num texto curto, incluí-me entre os brasileiros que votaram no risonho Dr. Jekill sem imaginar que havia o sombrio Mr. Hyde que acabara de aparecer. Surpreso com o linguajar de pátio de cadeia, afirmei que a forma era mais detestável que o conteúdo, embora o que Aécio e Joesley disseram recomendasse a retirada das crianças da sala. Encerrei o comentário com um lembrete sempre oportuno: para casos de polícia, o remédio é cadeia. Voltei às férias, comprei uma garrafa de vinho e, em silêncio, ergui um brinde aos seres humanos honestos. Parece mentira, mas são muitos.

Pouquíssimos — se é que existem — são os esquerdistas nativos dispostos a enxergar (e confessar que enxergaram) o que até um cadáver exumado pode ver nitidamente, e sem se dar ao trabalho de abrir os olhos. Como decifrar essa cegueira voluntária e irredutível? O que leva alguém a venerar um corrupto duas vezes condenado em duas instâncias? Como explicar o sumiço da autonomia intelectual em cérebros onde já houve vida inteligente? O fato é que os devotos da seita veem as coisas pelo avesso. Os reais negacionistas são os que negam que o chefão tenha cometido um único e escasso pecado venial. Negaram a existência do Mensalão, negam o Petrolão e negarão os escândalos ainda por devassar. Negam as bandalheiras do PT. Negam-se a contemplar o Himalaia de provas e evidências que instalou na cadeia o alto comando da quadrilha. Negam-se a reconhecer que, se Getúlio Vargas saiu da vida para entrar na História, Lula perdeu o rumo da História e caiu na vida. Numa vida bandida.

Eles qualificam de fascistas todos os que discordam do Evangelho segundo Lula

A cabeça avariada dos negacionistas produz imbecilidades que deixariam constrangido o cretino fundamental de Nelson Rodrigues. A tribo jura que há uma democracia em Cuba, recita que Nicolás Maduro transformaria a Venezuela numa potência mundial se os norte-americanos deixassem e ouve em silêncio de catedral Lula avisando que Napoleão invadiu a China. Os discípulos do mestre que não lê nem sabe escrever acreditam que Sergio Moro descobriu em 2015 que Jair Bolsonaro se elegeria presidente em 2018 e, para impedir que o maior presidente da História voltasse ao poder, juntou numa aliança de proporções siderais delegados da Polícia Federal, procuradores federais, desembargadores do Tribunal Regional Federal, ministros do Supremo, diretores da Petrobras nomeados por Lula e envenenados pela ingratidão, empreiteiros beneficiados por Lula também envenenados pela ingratidão, uma frente multipartidária de políticos dispostos a delatar inverdades, espiões treinados pela CIA e agentes do FBI fluentes em português, fora o resto.

Os pajés ensinam que Lula acabou com a pobreza em 2010 e Dilma erradicou a miséria em 2014, e que a multidão de andrajosos que seguem acampados nas ruas, praças e avenidas do país são brasileiros que subiram para a classe média durante os governos do PT e foram devolvidos às divisões inferiores por Michel Temer e Jair Bolsonaro. A esquerda negacionista também nega que seja orientada por uma cabeça baldia. Aprenderam com a filósofa Marilena Chauí que, “quando Lula fala, o mundo se ilumina”. E descobriram, graças ao professor Antonio Candido, que a fobia por bancos escolares não impediu que o gênio da raça aperfeiçoasse uma intuição mais aguda que a de Pelé invadindo a grande área inimiga. Está garantida a vaga na sala principal de um Museu dos Estadistas ainda à espera da fundação.

Eles acordam declarando amor à democracia e dormem declamando poemas que exaltam a liberdade. Mas negam o convívio dos contrários, não admitem opiniões divergentes e qualificam de fascistas todos os que discordam do Evangelho segundo Lula. Acham que o país é presidido por um genocida decidido a exterminar todos os brasileiros, inclusive os que o elegeram. Estão convencidos de que Bolsonaro não acredita na existência de pandemias. E que é por culpa dele que sobram mortos e faltam vacinas, que há mais doentes do que leitos de UTI, que o vírus chinês resolveu acampar no Brasil até morrer de velhice. Quem discorda dessas certezas é fascista, sonha com a ditadura e é negacionista.

Negacionista é marmanjo que se nega a pensar com independência, é ovelha que acompanha o sinuelo na trilha que conduz ao despenhadeiro. Para uma figura assim, aliás, negacionista talvez seja pouco. Eis aí uma perfeita besta quadrada.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

43 comentários

      1. Temos para isso um trabalho bem sucedido da esquerda nos últimos governos no que diz respeito à educacao

  1. Magistral, Augusto. Em pouquissimas palavras voce desmistifica a pretensa inteligentsia nacional… Já o rebanho da seita…..talvez seja fruto de uma narrativa bandida aliada a deseducação dos ultimos 20 anos

  2. Na República de Curitiba a força-tarefa da Lava-Jato mostrou ao Brasil e ao Mundo, com seriedade e eficiência e com o a devida aprovação e reconhecimento da sociedade, como desmontar organizações criminosas. A Lava-ficha não pode destruir este esforço, este trabalho, que se tornou o maior combate à corrupção do País.

  3. Augusto, infelizmente em 2022 teremos milhões de brasileiros votando nesse energúmeno ex-condenado…por razões diversas…mas muito já tiveram seus cérebros devidamente lavados por essa criatura humana desprezível e acreditam mesmo nas baboseiras que ele diz…

  4. Putz, Augusto. Em alguns dos meus poucos grupos de Whatsapp tem umas bestas destas. Vou copiar e colar seu artigo, citando a referência. Talvez algum acorde. Vou tentar. Mesmo sabendo que serei chamado de minion, negacionista, fascista, dentre outros.

    1. Giammaria não perca seu tempo enviando o artigo, do Augusto, estas bestas são, pessoas, tão prepotentes que jamais vão admitir que estão errados. Em discussões, quando são colocados em xeque, começam a gritar. Acho que você já deve ter passado por isso, eu já e adoro, porque eu grito mais alto do que eles é quando eles entram em pânico.

  5. As verdades escritas por Augusto Nunes, por Guzzo, tantos que amam o Brasil sem interesses menores, entre os quais me incluo ,são farol de luz na escuridão que a sordidez da esquerda e de todas as viúvas das verbas públicas mantém ,ou tentam manter, a massa no país.
    Acompanho as peripécias lulopetistas desde Vila Euclides, em São Bernardo do Campo. Por dever de ofício. Por gosto pessoal não resistiria aos engulhos. Longa vida à Oeste, da qual sou propagandista voluntário e leitor dependente.

  6. Augusto Nunes consegue, com o otimo texto, descrever os verdadeiros NEGACIONISTAS.
    Já admirava seus comentários lúcidos no Pingos nos ii. Fiquei fã!!!

  7. artigo mais que perfeito mas, infelizmente, parafraseando Nelson Rodrigues “os idiotas dominarão o mundo, não porque sejam competentes mas porque são muitos”

  8. Ufa! Prezado Augusto, que texto! Entre os fatos e a “realidade relativa”, certamente que os fatos, mesmo que em muitas vezes não sejam como desejamos, são os melhores instrumentos para uma análise crítica do presente.

  9. Mais uma vez um texto maravilhoso, que nos faz refletir e mostra que há luz no fim do túnel. Os esquerdopatas são negacionistas de raiz. Quando a Marilena Chauí disse com todas as letras que “odiava a classe média”, mesmo fazendo parte dela, foi uma pequena amostra de como são os componentes da esquerda. Não salva ninguém. Se você comenta os roubos do ladrão de nove dedos, dizem que invenção da empresa; se fala da mala de dinheiro da amante bloqueada em Portugal, é pura fantasia e por ai vai. Principal virtude do esquerdopata: negar a verdade.

  10. Bah Augusto , texto perfeito, irretocavel.Obrigada por conseguir verbalizar o que temos entalados na garganta de indignação . Estas pessoas estão cegas , não aceitam o evidente e não conseguem argumentar e debater. É como uma seita, cegueira, mediocridade e ignorancia.

  11. Perfeito Augusto Nunes… conheço bem pessoas assim: lamentavelmente meus irmãos… filhos do mesmo pai e da mesma mãe que foram pessoas honestas acima de tudo.

  12. Lula não é só um corrupto – o maior que se tem notícias em qualquer Estado nacional do Ocidente. Seu partido foi “cancelado” pelas urnas. Sobrou a seita. São os crentes que ao longo desses anos aprenderam a odiar tudo o que não fosse santificado pelo criminoso. Desde suas primeiras falas ele converteu o ódio em ideologia. E vice-versa. O “eles”, os maus, e o “nós”, os bons, vinha de um aprendizado do jurista do IIIº Reich Carl Schmidt para quem o que alimenta a política é ódio. Não se pode reconhecer o outro como adversário, mas como inimigo. Os ataques à “elite branca”, por exemplo, revela não só seu histrionismo mas o caráter dissimulado de alguém que aliou-se aos maiores empreiteiros, todos presos e reconheceram seus crimes, pagando multas ou fazendo acordos de leniência milionários. Os seus crimes tem dimensões continentais, então o que esperar de um “jurista” paranaense militante do MST. A pergunta que se faz obrigatória: seus parceiros midiáticos voltaram a receber os bilhões que lhes pagava o Erário? O entusiasmo com o criminoso é suspeito. Há muitos milhões faltando na conta da Petrobras.

  13. “O Fachin falou
    Que o Lula agora é inocente,
    Que nunca meteu a mão em nada…
    Isso é tudo invenção da gente”.

    Crédito: Boca nervosa – Tudo Ficção.

  14. Simplesmente majestoso.
    Viva a Oeste que não nos deixa morrer com tantas imbecilidades proferidas diariamente por um pool de imprensa militante

  15. Texto direto. Retrata o rebanho lulista que vem mamando há anos. Pra defender um larápio desse, o cidadão tem de estar se locupletando de alguma forma.

  16. Igual ao Guzzo, Fiuza, Ana, e demais Jornalistas com J maiúsculo! Lugar comum de todos da Revista Oeste são os Parabéns pelo artigo.

  17. Augusto Nunes e jornalistas da revista oeste sempre corretamente críticos da desinformação, que lamentavelmente é o que nos informam os tradicionais meios de comunicação para desestabilizar o governo federal e destruir o pais em grave pandemia sanitária. Notamos diariamente que Globo=Cnn=BandNews=Cultura e Estadão=Folha=Globo=Isto é=Veja, são incapazes de ser honestos com a informação e agridem até os eleitores deste governo.
    Como exemplo cito o Estadão que tem em seu diretor de opinião e conselho, decadentes jornalistas do ódio e que praticam fakes em suas versões nos editoriais. Pior, a exceção de Carlos A.Di Franco, J.R.Guzzo, e alguns artigos do jurista Ives Gandra Martins, infestam o jornal tucanos(já fui) e assemelhados, com inúteis artigos de economistas dramaturgos, cientistas sociais gourmet, juristas montando petições para impeachment, ex embaixadores e políticos do meio ambiente que deixaram o pais sem saneamento básico, educadores fracassados, e o ressuscitado FHC liderando suas “diplomáticas” intervenções para detonar o governo Bolsonaro, esquecendo o que escreveu em seus “diários da presidência” e o que fez com seus conchavos políticos e suas intervenções autoritárias na PF e na imprensa. Esses artigos e matérias seguramente ocupam mais de 90% das suas publicações.
    Comento isto porque em seus pequenos desvios de comportamento, o Estadão de 20/03 na pg.A2 publicou artigo do general Ministro da Defesa Fernando Azevedo “Forças Armadas na Operação Covid19, um ano salvando vidas”, o que fizeram as FA sob a diretriz do presidente neste ano de pandemia.
    Considero que, importante matéria jornalística poderia dar publicidade a esses feitos, sem que o governo federal (nós né?) tenha que gastar importantes verbas com publicidade tão necessárias a saúde. Vale também ilustrar o que fazem no combate ao desmatamento e proteção humana na Amazônia, em trabalhos com infraestrutura na reconstrução de estradas, pontes em acidentes climáticos.
    Pois é, mas o que nós ouvimos é a Globo em horário nobre, contestar porque as Forças Armadas não dispõe seus leitos hospitalares para atendimento. Ai é demais.
    Sugiro ao Augusto que procure o diretor geral dr. Paulo Chap Chap do Sirio Libanes de SP, para detalhar o que investiu em pessoal, equipamentos e medicações para o especial atendimento de COVID19 para obter o surpreendente resultado de baixa letalidade aos internados leves, moderados e graves. Ouvi entrevista com esse diretor na BandNews e pensei, porque nossos gestores públicos com enormes verbas enviadas pelo governo federal só fizeram péssimas instalações em hospitais de campanha mal utilizados e atualmente desativados?. Não serão eles os culpados pelo elevado número de óbitos?

    1. Texto lúcido ao extremo !
      Parabéns
      Cancelei assinatura do Estadão no ano passado .
      Eles continuam a mandar !
      Na sua relação de jornalistas esquerdopatas ,esquece se da senhora Eliane Cantanhede ,ela não passa um dia sem fazer uma crítica ao atual governo ,e sempre destrutivas !
      Outro dia ela foi entrevistada pela CNN e fez a seguinte pergunta :A que veio o atual presidente?
      Esses jornalistas que tentam desconstruir o atual governo todos os dias incessantemente dão asco ,nojo !
      Jornal decadente como a maioria de todos os outros !

  18. Parabéns Augusto Nunes pelo artigo. Muito feliz por ser assinante da revista Oeste, uma ilha de jornalismo sério e informativo.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.