Por vale-peru, manifestação dos Correios se volta contra Bolsonaro

Protesto atrapalhou o trânsito da Avenida Paulista no início da tarde de hoje
-Publicidade-
Funcionários dos Correios realizam ato na Avenida Paulista. Eles reclamam de Bolsonaro | Foto: ANDERSON SCARDOELLI/OESTE
Funcionários dos Correios realizam ato na Avenida Paulista. Eles reclamam de Bolsonaro | Foto: ANDERSON SCARDOELLI/OESTE | greve dos correios - manifestação na avenida paulista

Protesto atrapalhou o trânsito da Avenida Paulista no início da tarde de hoje; greve dos Correios completa um mês

greve dos correios - manifestação na avenida paulista
Funcionários dos Correios realizam ato na Avenida Paulista. Eles reclamam de Bolsonaro, mas seguem em greve | Foto: ANDERSON SCARDOELLI/OESTE
-Publicidade-

A greve dos Correios completa um mês nesta quinta-feira, 17. E a data foi “comemorada”. Isso porque um grupo de funcionários da estatal resolveu atrapalhar o trânsito da Avenida Paulista, em São Paulo. O ato realizado na tarde de hoje contou com ofensas ao presidente Jair Bolsonaro. Eles também falaram de privilégios. Foi o caso, por exemplo, do já mencionado vale-peru.

Leia mais: “Amazon e Magazine Luiza estão de olho nos Correios, mas…”

Reportagem de Oeste acompanhou parte do protesto. A ação foi monitorada por agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da Polícia Militar (PM). O ato atrapalhou o trânsito, mas teve cerca de 50 pessoas. Duas faixas no sentido Consolação da Avenida Paulista chegaram a ser fechadas. O mesmo ocorreu com alguns cruzamentos.

Os representantes dos Correios falaram da importância dos serviços prestados pela estatal. O povo, entretanto, parece nem sentir falta. Nesse sentido, o motorista de aplicativo Carlos Alberto revelou algo. Ele nem tinha ciência da paralisação. “Nem sabia que estava tendo essa greve”, comentou. Ele ficou aproximadamente cinco minutos parado próximo ao cruzamento da Rua Augusta com a Avenida Paulista.

Contra o governo federal

O porta-voz dos manifestantes reclamou do governo federal. Ele declarou que dessa forma “querem tirar direitos dos trabalhadores”. Não detalhou, entretanto, quais são os direitos. Na lista de reivindicações há privilégios como vale-cultura e vale-peru natalino, por exemplo. “Bolsonaro, a culpa é sua. A greve continua”, gritavam os manifestantes. O grupo criticou o ministro da Economia, Paulo Guedes e o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Eles também combateram a ideia de privatizar a companhia.

Os manifestantes se encaminhavam para o Centro da capital paulista. Afinal, o protesto tinha como destino a Praça Roosevelt.

MAIS: “PT ataca privatização dos Correios e além disso dá apoio à greve”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.