Earth 300: o megaiate com uma agenda

Com tecnologia que ainda nem foi criada, a embarcação pretende unir pesquisa científica, ativismo ambientalista e turismo de luxo
-Publicidade-
Fotos: divulgação Earth 300.
Fotos: divulgação Earth 300.

O empresário de turismo Aaron Olivera (nascido em Gibraltar, com residência em Cingapura) anunciou o projeto do primeiro megaiate movido por energia nuclear. O Earth 300 leva esse nome por causa do tamanho — 300 metros de comprimento, maior que o Titanic e quase o dobro do tamanho do maior iate da atualidade, o Azzam (que tem 180 metros). 

Leia mais: Somnio, primeira “embarcação residencial”, deve ser lançada em 2024

O Earth 300 combina um laboratório de pesquisas ambientais com 160 cientistas, uma tripulação de 165 pessoas e um conselho de 40 estudantes e especialistas. Serão oferecidas 20 cabines VIP a quem pagar US$ 3 milhões para um cruzeiro de dez dias. A renda será utilizada para financiar a pesquisa científica. 

-Publicidade-
Fotos: divulgação Earth 300

A ideia de Aaron Olivera é misturar ativismo ambiental, pesquisa científica e turismo de luxo. Ele já sonha em reunir Barack Obama, Greta Thumberg e Elon Musk no bar do iate. O custo do Earth 300, desenhado por Ivan Salas Jefferson, é calculado em US$ 700 milhões, mas os mais realistas falam e US$ 3 bilhões. Olivera calcula que ele poderá ficar pronto em 2025, se conseguir levantar o financiamento — o que parece muito difícil para uma embarcação tão inovadora. 

Foto: divulgação Earth 300

O megaiate deverá ter um computador quântico a bordo e ser movido por “sal derretido”, um tipo avançado de reator nuclear que não precisa de reabastecimento. (E que nem foi inventado — ainda está em estudos num laboratório britânico.)

Esta reportagem da Vision explica melhor o projeto:

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. Não se faz mais ricos como antigamente. Enquanto uns criam o corona para vender vacinas e remédios caros, outros estão “preocupados” com o meio ambiente cobrando 5 milhões de dólares um passeio “ecologico” dizendo que isso é pela ciência. Enquanto esses miseráveis passeiam dizendo que estão fazendo tudo pela ciência, o povo africano vai morrendo de fome. Se não tomarmos cuidado com esses “empaticos” senhores, vão roubar até nossa comida daqui do Brasil. Toda essa “festa” amazônica dessa pirralha Greta pelo mundo tem objetivo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.