Microsoft vai encerrar LinkedIn na China e anuncia novo aplicativo no país

Nova rede não terá a capacidade de compartilhar postagens ou artigos
-Publicidade-
Na China, LinkedIn será substituído pelo InJobs
Na China, LinkedIn será substituído pelo InJobs | Foto: Divulgação/Unsplash

O LinkedIn anunciou que encerrará o seu serviço na China no fim deste ano. Publicado nesta quarta-feira, 14, um comunicado oficial informa que será criado um aplicativo local com o nome InJobs. A mudança ocorre por causa de “um ambiente de operações cada vez mais desafiador e exigências crescentes” do governo, informa a empresa controlada pela Microsoft.

“Reconhecemos que operar uma versão localizada do LinkedIn na China significaria cumprir os requisitos do governo chinês nas plataformas da internet”, afirma em comunicado. “Embora apoiemos fortemente a liberdade de expressão, adotamos essa abordagem para criar valor para nossos membros na China e em todo o mundo”.

A nova plataforma “não incluirá um feed social ou a capacidade de compartilhar postagens ou artigos”. Seu foco será exclusivo em ofertas de trabalho.

-Publicidade-

Perfis censurados

No mês de setembro, os perfis de vários jornalistas dos Estados Unidos foram bloqueados para a visualização por usuários na China. Os conteúdos produzidos por eles foram classificados como proibidos no país comunista.

Bethany Allen-Ebrahimian, do portal Axios, está entre as pessoas censuradas. Ela relatou que recebeu um e-mail do LinkedIn sobre o bloqueio para visualização de seu perfil para a população chinesa, em razão de um “conteúdo proibido” publicado no resumo de sua página.

Nos últimos meses, mensagens com o mesmo teor foram enviadas para outros jornalistas que tratam do país, além de acadêmicos, pesquisadores, funcionários de governos.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.