Carne brasileira está parada há dois meses em portos chineses

País asiático barrou a entrada da proteína animal brasileira por causa de casos de 'vaca louca'
-Publicidade-
Cortes de carne bovina armazenados em frigorífico | Foto: Francisco Javier Catalina/Flickr
Cortes de carne bovina armazenados em frigorífico | Foto: Francisco Javier Catalina/Flickr

Uma reportagem do programa Globo Rural exibida neste domingo, 24, mostrou que toneladas de carne brasileira pode apodrecer parada há dois meses em portos chineses. O motivo é que a alfândega chinesa barrou a entrada das cargas por causa de dois casos da chamada “vaca louca”.

O termo ficou conhecido na década de 1990 no Reino Unido. Trata-se de uma epidemia que ataca os animais, mas pode contaminar humanos. O Ministério da Agricultura confirmou dois casos ocorridos recentemente em Minas Gerais e Mato Grosso, o que levou à suspensão dos negócios com os chineses.

Mesmo com o embargo temporário, alguns produtores brasileiros, no entanto, despacharam a carne porque já receberam por ela. A estimativa é que foram enviadas cerca de 112 mil toneladas — o Brasil embarca em média 8 mil toneladas por dia.

-Publicidade-

“A alfândega não autorizou o despacho e recomendou que se retire essas cargas dos portos e que elas sejam realocadas ou retornem para o Brasil”, afirmou em entrevista Lygia Pimentel, economista da Agrifatto. Ou seja: é possível que esses contêineres estejam retornando cheios ao Brasil ou acabem renegociados com outro país.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.