CNA: mais recursos para investimentos e seguro rural

Para João Martins, presidente da entidade, a safra 2021/22 será 'um grande desafio'
-Publicidade-
CNA: pedido por esforço extra do governo federal para a safra 2021/22
CNA: pedido por esforço extra do governo federal para a safra 2021/22 | Foto: Divulgação/Unsplash

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) solicitou um empenho extra do governo federal para assegurar R$ 15 bilhões de orçamento para a subvenção do Plano Safra 2021/22 e outro R$ 1,6 bilhão para o seguro rural, devido aos altos custos de produção das principais culturas este ano.

“A safra 2021/2022 será um grande desafio”, afirma o presidente da CNA, João Martins. “Os custos de produção têm subido significativamente, as taxas de juros estão em ascensão e a expectativa com os indicadores macroeconômicos tem piorado. Isso tende a deixar os financiadores mais seletivos”.

Leia também: “Salada mais cara para o consumidor”

-Publicidade-

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, solicitou à equipe econômica, o mesmo valor pedido pela CNA, R$ 15 bilhões, mas ainda não houve definição. Para a safra 2020/21, são R$ 11,5 bilhões para a equalização dos juros do crédito rural, informou nesta quarta-feira uma reportagem do jornal Valor Econômico. Para o seguro rural, a previsão do orçamento de 2021, até agora, é de R$ 976,2 milhões. A CNA pede R$ 1,6 bilhão, além de um reajuste de 25% nos valores da subvenção aos produtores rurais.

Ao invés de sugerir reduções pontuais das taxas de juros do crédito rural, a entidade sugere, em documento entregue nesta quarta-feira, 19, à ministra, reduzir os percentuais de custos administrativos e tributários (CAT) recebidos pelas instituições financeiras, além de alterações na regulação prudencial do Banco Central, que pode aumentar a oferta de financiamentos em R$ 60 bilhões.

As propostas da entidade incluem também manter os percentuais obrigatórios que os bancos têm que disponibilizar ao financiamento rural e o aumento, nos recursos captados com Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs), de 35% para 50%. A CNA também solicita prioridade aos programas de investimentos aos pequenos e médios produtores (Pronaf e Pronamp), por meio de diversas iniciativas.

Leia também: “Mapa projeta em R$ 1 trilhão o valor da produção agropecuária de 2021”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro