Embrapa lança plataforma digital para controle de pragas na Bahia

Monitora Oeste reúne informações que auxiliam produtores do Estado
-Publicidade-
O aplicativo é fruto de parceria da Embrapa com a Abapa
O aplicativo é fruto de parceria da Embrapa com a Abapa | Foto: Divulgação/Embrapa

A Embrapa lançou nesta quarta-feira, 2, o Monitora Oeste, plataforma digital para o controle de pragas nas plantações de algodão e soja na Bahia.

O sistema foi desenvolvido em parceria com a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa). Por meio do dispositivo, os agricultores receberão dados sobre o monitoramento climático e de pragas, como a ferrugem asiática e a mancha de ramulária, que atacam lavouras de algodão e soja no oeste do Estado. De acordo com a Embrapa, essas doenças provocam perdas “estimadas em 30%, na cotonicultura e de até 80% na sojicultura”.

-Publicidade-

“A mancha de ramulária e a ferrugem da soja são potencialmente devastadoras, quando fora de controle, e de rápida disseminação”, disse o presidente da Abapa, Luiz Carlos Bergamaschi. “Ter a informação precisa e atualizada permite traçar estratégias mais eficazes de controle, com sustentabilidade. Isso traz maior rentabilidade e se alinha à nossa busca diária por sustentabilidade econômica, ambiental e social.”

A coleta para o controle de pragas

O Monitora Oeste envia informações sobre as condições climáticas favoráveis para a proliferação das doenças e para a dispersão dos esporos. Os usuários têm acesso aos dados por meio de apps para Android e iOS, além da plataforma web.

São três níveis de alertas: ocorrências de doenças, condições climáticas favoráveis para as ocorrências e condições climáticas favoráveis para a dispersão de esporos no ar. A plataforma digital para o controle de pragas conta com mapas e gráficos que podem ser filtrados por doenças, municípios, regiões e safra.

Semanalmente, núcleos em 16 regiões fazem a coleta de lâminas em armadilhas espalhadas nas lavouras, bem como registram informações sobre as condições das plantas. Os grupos são formados por técnicos da Abapa, da Embrapa e de parceiros como Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Fundação Bahia e Associação de Agricultores Irrigantes da Bahia.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.