O fracasso da agricultura orgânica do Sri Lanka

Depois de proibir o uso de pesticidas e fertilizantes, o país registrou uma queda acentuada na produção agrícola
-Publicidade-
Imagem ilustrativa de plantação de arroz
Imagem ilustrativa de plantação de arroz | Foto: Reprodução/Embrapa

No início do ano passado, o presidente do Sri Lanka, Gotabaya Rajapaksa, decidiu proibir o uso de pesticidas e fertilizantes na agricultura do país. Seu objetivo era ambicioso: tornar a agricultura nacional totalmente orgânica.

Imediatamente após a medida, um terço da produção agrícola do país ficou sem plantio. Seis meses depois, a produção de arroz diminuiu 20%. Para atender às necessidades de abastecimento, o governo importou US$ 450 milhões do cereal. Outros US$ 350 milhões foram desembolsados para indenizar e subsidiar os agricultores que não se adaptaram às diretrizes. O preço ao consumidor aumentou 50%.

Mas não é só isso. O setor do chá, produto mais exportado do país, registrou prejuízo de US$ 425 milhões.

-Publicidade-

Consequências mais profundas

O fracasso da política estatal impactou todo o país. Segundo o portal Foreign Policy, a medida ameaçou a segurança alimentar do Sri Lanka. Atualmente, quase meio milhão de cingaleses está abaixo da linha da pobreza.

A crise econômica, desencadeada pela pandemia e agravada pelo colapso da indústria agrícola, causou grave escassez de alimentos e apagões. Em resposta, o governo suspendeu completamente a proibição de pesticidas, de maneira a permitir o uso de métodos convencionais na produção de chá, coco e borracha.

Leia também: “Pulverizando mitos”, reportagem sobre os defensivos agrícolas publicada na Edição 100 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.