Anvisa libera testes de vacina chinesa contra a covid-19

Vacina é feita a partir de cepas inativadas do novo coronavírus e estudo é conduzido pelo Instituto Butantan, em São Paulo
-Publicidade-
Sede da Agência  Brasileira de Vigilância Sanitária | Foto: Agência Brasil
Sede da Agência Brasileira de Vigilância Sanitária | Foto: Agência Brasil

Vacina é feita a partir de cepas inativadas do novo coronavírus e estudo é conduzido pelo Instituto Butantan, em São Paulo

Anvisa
Sede da Agência Brasileira de Vigilância Sanitária | Foto: Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária autorizou nesta sexta-feira, 3, a realização de testes da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac.

-Publicidade-

O pedido de liberação foi realizado pelo Instituto Butantan, ligado ao governo do Estado de São Paulo, e os testes devem ser desenvolvidos em diferentes locais do Brasil.

A vacina, que está sendo chamada de “CoronaVac” está na terceira  fase de testes quando já pode ser administrada a um número maior de pessoas.

LEIA MAIS: No Reino Unido, vitamina D é recomendada para reduzir contaminação pelo coronavírus

Ela é um dos imunizantes mais avançados e, nesta etapa, será estudada com o objetivo de avaliar sua segurança e eficácia na imunização contra a doença.

Estudo Clínico

O estudo clínico envolverá 9 mil voluntários distribuídos nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal.

Parte delas receberá a vacina e outro grupo deve receber um placebo, sem efeito. O objetivo é verificar se há o estímulo à produção de anticorpos para proteção contra o vírus.

A Anvisa afirma que os estudos da primeira e segunda fases, realizados em humanos saudáveis e em animais, mostraram segurança e capacidade de provocar resposta imune “favoráveis”.

O custo da testagem é estimado em R$ 85 milhões e prevê a transferência de tecnologia para que a vacina chinesa possa ser produzida no Brasil.

Esta é a segunda vacina a receber autorização para testes no país. Em junho, a Anvisa liberou a realização de ensaios clínicos de uma vacina produzida na Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Com informações do Estadão Conteúdo.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.