Anvisa recomenda restringir acesso de viajantes da África

A agência sugeriu suspender temporariamente o acesso de estrangeiros que passaram por seis países
-Publicidade-
Nota técnica da Anvisa orienta suspender a autorização de desembarque no Brasil
Nota técnica da Anvisa orienta suspender a autorização de desembarque no Brasil | Foto: Divulgação/Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Epidemiológica (Anvisa) recomendou a suspensão de voos vindos do sul da África. A medida foi anunciada nesta sexta-feira, 26.

A nota técnica da Anvisa orienta o governo Federal a adoção de medidas restritivas de caráter temporário para conter a disseminação da nova variante do coronavírus (B.1.1.529) identificada na África do Sul.

As medidas sugeridas pela agência valem para seis países.

-Publicidade-
  • África do Sul
  • Botsuana
  • Essuatíni
  • Lesoto
  • Namíbia
  • Zimbábue

Atualmente, o Brasil não tem uma malha aérea com voos diretos desses países. Por isso, a Anvisa “recomenda a restrição de entrada de viajantes com essas procedências por qualquer meio de transporte, seja aéreo, rodoviário ou aquaviário”, informou a nota.

A orientação é para suspender a autorização de desembarque no Brasil dos viajantes estrangeiros que passaram pelos seis países nos últimos 14 dias. No caso dos brasileiros, a Anvisa prevê a realização de quarentena logo depois do desembarque no país.

OMS é contrária a imposição de restrições

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou os países nesta sexta-feira, 26, que não aconselha a imposição de restrições de viagens relacionadas à nova variante da covid-19.

Segundo a OMS, os países deveriam tomar uma “avaliação de risco baseada na ciência”.

“Até o momento, a implementação de medidas restritivas a viagens não é recomendada”, disse o porta-voz da OMS, Christian Lindmeier, em uma entrevista coletiva da Organização das Nações Unidas, em Genebra.

Reunião vai avaliar os riscos

A OMS convocou uma reunião de especialistas nesta sexta para avaliar os riscos da cepa B.1.1.529. A entidade vai definir se ela constitui uma variante de “interesse” ou “preocupação”.

As orientações adicionais aos governos serão passadas posteriormente, sobre as ações que podem ser adotadas diante da nova cepa.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. O ministério da saúde deve tomar atitudes e ações rapidamente, para que em breve, não-culpem o governo por tudo de ruim que ocorrer. FECHAR AS FRONTEIRAS COM ESTES PAÍSES, EXIGIR TESTES E VACINAÇÃO. EIS O QUE DEVE FAZER QUEIROGA E O RESTANTE DO GOVERNO

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.