Após solicitação do Procon, Caixa se nega a localizar vencedor da Mega da Virada

Banco informou que a obrigação de reclamar o prêmio no prazo de 90 dias é do vencedor
-Publicidade-
Edifício sede da Caixa Econômica Federal em Brasília | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Edifício sede da Caixa Econômica Federal em Brasília | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal se negou a identificar um dos dois ganhadores da Mega da Virada que não havia retirado o prêmio de R$ 162,6 milhões até esta quarta-feira, 31, último dia para resgatar o montante. O Procon-SP chegou a notificar o banco alegando que a localização do apostador seria possível já que o jogo foi feito pela internet.

Em resposta, a Caixa informou que a obrigação de reclamar o prêmio no prazo de 90 dias é do vencedor e que o cadastro efetuado no ambiente virtual não tem a finalidade de localizar os ganhadores. A instituição baseia-se em uma lei de 1967, que fixa em três meses o prazo para retirar prêmios.

Leia mais: “Desembargadora barra lockdown no Distrito Federal”

-Publicidade-

O diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez, rebate: “Essa lei é de uma época em que não existia internet, nem aposta eletrônica ou possibilidade de identificar o apostador. É óbvio que este dispositivo sofre uma releitura a partir da Constituição de 1988 e do Código de Defesa do Consumidor”.

Ao site do jornal Extra, a Caixa disse que não grava, junto com a aposta, a identidade do jogador, independente do canal de venda. Como ninguém reivindicou o prêmio, o montante será repassado ao Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies).

Prêmios esquecidos

Não são raros os apostadores que deixam o prêmio para trás. Segundo a Caixa, somente em 2020, R$ 311,9 milhões em prêmios não foram resgatados. Os valores levam em conta todas as modalidades e faixas de premiação como Dupla-Sena, Quina, Lotofácil, Lotomania e Loteca, que não foram retiradas no prazo.

Para retirar o prêmio, além do bilhete, é preciso apresentar documento de identificação, como o CPF (Cadastro de Pessoas Físicas).

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

21 comentários Ver comentários

  1. No momento da realização da aposta, o apostador deveria colocar no volante o CPF. Seria uma maneira de transformar a aposta num título ao portador. O apostador receberia o prêmio (de qualquer valor) mediante a apresentação do CPF. Seria uma maneira simples e poderia identificar o apostador nesse caso. Esse apostador pode ter falecido, por que não? Então o prêmio seria dos herdeiros após a identificação.

  2. A posição da caixa é imoral. Aposta feita pela internet precisa de cadastro e CPF. Este cidadão pode ter morrido e a família não sabe. Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) esta certo por defender o consumidor.

  3. Pasma-me a preocupação do Procom com relação a acertadores da megassena. Só OTÁRIO não sabe que em 99,99% dos acertadores, os premiados são a própria Caixa Econômica Federal, ou algum de seus milhares de empregados. Engana-se quem quer.

    1. acho que a caixa tem que entrar em contato com o ganhador, afinal os dados estão lá pra ser encontrado caso isso venha acontecer, A caixa tá mesmo querendo ficar com o dinheiro

  4. Não entendo porque reclamar de algo que acontece há muito tempo. Se doravante mudar a legislação é só passar a exigir o CPF em todas as apostas e dai identificar o nome e outros dados para informa-lo. Se mesmo assim, o ganhador não atender a comunicação, o destino dado aos prêmios não retirados recomendaria mudar para a saúde pública e não para o ensino superior. Agora Procon se meter nisso, é querer aparecer pois esta defendendo quem reclamou o que?

  5. Loterias da Caixa é o maior esquema criminoso de desvio de dinheiro que existe no país. Como pode prêmios de muitas dezenas de milhões saírem para cidades pequenas do interior e ninguém jamais conhecer nenhum ganhador?

  6. E por isso que não tenho conta na caixa banco ladrão federal meus bancos não tem convênio nenhum com governo nada tudo conta digital

  7. Procon SP. Presidido por um serviçal do calcinha apertada. É surreal. Como esse picareta ousa insinuar que está preocupado com o ganhador? Ô raça de víboras, esse psdb.

    1. O destino do valor não resgatado é válido.
      Mais acho que nesse momento, o valor deveria ser destinado para compra de cestas básicas e serem destribuidas para as pessoas que estão passando fome por conta da pandemia.
      É o que eu penso!

  8. O bilhete é um titulo ao portador, as condições das apostas são públicas. Não adianta o Procom querer aparecer agora e exigir o impossível, tá parecendo o ministério público, que só aparece depois da terra arrasada…

  9. Todas as apostas deveriam ter, por obrigação, a identificacao do apostador, para em um caso como este, entregar o prêmio a quem de direito.

    1. Então eu costumo fazer meus jogos da mega sena via intenet banc da caixa econômica Federal direto do meu app caixa onde tem meu dinheiro vou la acesso o app ponho a senha ai vou no link loteria só tem uma opção mega sena e o concurso
      Ai escolho as dezenas são 3 volantes no valor de r$14.50
      Com essa loucura de não acharem o segundo ganhador eu comecei a conferir todos meus jogos e simplesmente um volante com 3 volante sendo 6 dezenas em cada sumiu esse jogo fuz no dia 14 de Dezembro mas so iria sortear no dia 16de Dezembro uma quarta-feira que também fiz mais 2 volantes e nesse sorteio não teve ganhador e eu não pude conferir pois sumio do link no app de conferir se eu ganhei ou não nuca saberei pois não pude conferir pois sumiu agora irei na caixa econômica para pedir que eles me amostrem uma filmagem se é isso que tenho que pedir
      Se alguém puder me dar uma luz agradeço

      1. também fiz 14 jogos na Internet e só achei 7 pra conferi fazendo o duque em quase todos os outros não sei onde foi parar os outros aí fiquei em dúvida se fiz mesmo as apostas.
        ou então a caixa tá com enrrolacao

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.