Botucatu inicia vacinação em massa com imunizante da Oxford

Na cidade, 45 pontos de votação estão sendo utilizados para que 60% do contingente receba a primeira dose neste domingo
-Publicidade-
A medida servirá para testar a eficácia da vacina
A medida servirá para testar a eficácia da vacina | Foto: Cadu Rolim/Estadão Conteúdo

Neste domingo, 16, começou a vacinação em massa contra a covid-19 da população de Botucatu (SP). O público-alvo é formado por toda a população local com mais de 18 anos (108 mil habitantes). Na cidade, 45 pontos de votação estão sendo utilizados para que 60% do contingente receba a primeira dose hoje. A medida servirá para testar a eficácia da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca.

Além dos desenvolvedores, participam do estudo a Fundação Oswaldo Cruz, que distribui as doses do imunizante no Brasil, a Fundação Gates, a Universidade Estadual Paulista e a Prefeitura de Botucatu.

A imunização está sendo feita por escala de faixa etária em diferentes horários. Das 8h às 10h30, estava prevista a vacinação de moradores de 51 a 60 anos, seguidos de cidadãos com 41 a 50 anos (10h30 às 13h), 31 a 40 anos (13h às 15h30) e de 18 a 30 anos (15h30 às 18h).

-Publicidade-

Botucatu será a segunda cidade do Brasil a vacinar em massa. Em abril, a cidade de Serrana, também no interior de São Paulo concluiu a vacinação de 61% da população local na esteira de um estudo para verificar a eficiência da CoronaVac, imunizante desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac. Chamado de Projeto S, a iniciativa foi encabeçada pelo Instituto Butantan — entidade que envasa o imunizante em território nacional.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários

  1. Já da cidade de Serrana, vacinada com a coronavac, após a divulgação do relatório preliminar não se falou mais nada. Simples, o relatório preliminar informou que houve uma redução de 48% nas internações, o que confirmou a baixa eficácia da vacina chinesa do Dória.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro