Chico Buarque exclui música ‘machista’ de repertório

O clássico Com açúcar, com afeto recebeu críticas por retratar um casamento abusivo
-Publicidade-
A revelação foi feita por Chico Buarque em uma série documental lançada nesta semana pela Globoplay
A revelação foi feita por Chico Buarque em uma série documental lançada nesta semana pela Globoplay | Foto: Reprodução/Flickr

As feministas conseguiram. Depois de críticas à letra da música Com açúcar, com afeto, que retrata um casamento abusivo, Chico Buarque não pretende mais cantar um clássico de seu repertório, de 1967.

A revelação foi feita na série documental O canto livre de Nara Leão, dirigido por Renato Terra para a Globoplay, em comemoração aos 80 anos de nascimento da artista.

“As feministas têm razão, vou sempre dar razão às feministas”, disse Chico Buarque.

-Publicidade-

No documentário, Chico explicou que a música foi composta a pedido de Nara.

“Ela me pediu a música, ela me encomendou essa música, ela falou ‘Eu quero agora uma música de mulher sofredora’. E deu exemplos de canções do Assis Valente, Ary Barroso, aqueles sambas da antiga, onde os maridos saíam para a gandaia e as mulheres ficavam em casa sofrendo, tipo “Amélia”, aquela coisa. Ela encomendou e eu fiz”, explicou Chico.

“Com seu terno mais bonito
Você sai, não acredito
Quando diz que não se atrasa

Você diz que é um operário
Sai em busca do salário
Pra poder me sustentar”

Ainda no filme, Chico disse que “gostou de fazer” a canção e destacou que na época não havia esse tipo de interpretação crítica aquela personagem feminina. No entanto, ele defendeu a mudança de visão e, por isso, decidiu tirar a música de seu repertório.

“Elas precisam compreender que naquela época não existia, não passava pela cabeça da gente que isso era uma opressão, que a mulher não precisa ser tratada assim. Elas têm razão. Eu não vou cantar ‘Com açúcar, com afeto’ mais e, se a Nara estivesse aqui, ela não cantaria, certamente”, observou Chico Buarque.

“Com açúcar, com afeto
Fiz seu doce predileto
Pra você parar em casa

(…) Logo vou esquentar seu prato
Dou um beijo em seu retrato
E abro os meus braços pra você”

Leia também: “Um cheque em branco para a censura”, texto publicado na edição 94 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

31 comentários Ver comentários

  1. Oh, pedaço de mim
    Oh, MESADA afastada de mim
    Leva o teu olhar
    Que a saudade é o pior tormento
    É pior do que o ARQUIVAMENTO
    É pior do que se ENDIVIDAR

    Oh, pedaço de mim
    Oh, MESADA exilada de mim
    Leva os teus sinais
    Que a saudade dói como um SALDO
    Que aos poucos descreve um arco

  2. “…Apesar do PT
    Amanhã há de ser
    Outro dia
    Inda pago pra ver
    O jardim florescer
    Qual você não queria
    Você vai se amargar
    Vendo o dia raiar
    Sem lhe pedir licença
    E eu vou morrer de rir
    Que esse dia há de vir
    Antes do que você pensa…”

  3. E “João e Maria”?
    “…Agora eu era o rei
    Era o bedel e era também juiz
    E pela minha lei
    A gente era obrigado a ser (in)feliz…”
    Foi feita sob encomenda para Cabeça de Ovo?
    Ô, Chico! Ganhando por fora pra fazer música encomendada pra ditador comunista?

  4. E GENI?
    “…Joga pedra na Geni.
    Joga bosta na Geni, maldita Geni…”!
    Os “colegas” da Geni nunca reclamaram da “bosta na Geni”

  5. Então vai ter de tirar e apagar também a música Acorda Amor. Ela diz: “… Chame, chame o LADRÃO, chame o LADRÃO / Chame, chame o LADRÃO, chame o LADRÃO…”
    É uma clara alusão a LULA, o LADRÃO!
    NÃO POOOOOODEEEE!

  6. Não sou feminista. Entendo a visão das mulheres sobre determinadas musicais. Mas talvez, as mesmas mulheres que não concordam com essa música, são aquelas que dançam seus funks opressores e que colocam a mulher como lixo humano. Estou errado?

  7. Impressiona a submissão bovina da classe artística e da velha imprensa. A agenda identitária define quais obras devem ser eliminadas, não importa o quanto representaram a partir da genialidade do seu criador, o retrato de uma época. Reedição de Fahrenheit 451 queimando livros.

  8. Um gênio musical, letrista e poeta de primeira. Um dos melhores do Brasil e do Mundo. Nota 10.
    Na política, endeusando o comunismo, idolatrando Cuba e Venezuela, mas preferindo morar em Paris e mamar na Rouanet, Nota Zero. Um verdadeiro imbecil.
    E no momento atual do politicamente correto, abaixando as calças pras feministas e renegando sua própria obra, Nota menos 10.
    Uma pena, o Brasil esperava mais desse bosta.

  9. Atitude típica do filho da pxta que esse cara sempre foi…um bxsta, um esquerdopata de mxrda…..Esse traste não vai deixar de cantar aquela da Geni…lembram?
    “joga xxxxxx na Geni….joga xxxxxx na Geni, ela dá pra qualquer um maldita Geni”
    Considerando o monte de porcarias que compôs o melhor mesmo era abandonar o repertório todo!
    Tá falado!

  10. Ridículo! Música feita em uma outra época. Que todos joguem fora a obra dele, muitas letras dedicada às mulheres da época, retrata este dia a dia. Pobreza de espírito.

  11. Medo de ser cancelado kkkkk. Daqui a pouco virão os Black Lives Matters pedindo pra ele não cantar mais que “a coisa aqui tá preta”, e ele vai ceder também.

    1. Retire também do seu repertório : Atrás da porta ( por relação abusivas), Construção ( por apologia ao trabalho escravo) ,Meu Guri ( por apologia ao crime) , Geni( apologia a prostituição), enfim , cancelem logo o Chico ! O que seria um tiro no pé deste ideologista que lucra com o ideal !

      1. Moises, parabéns pelo comentário. Me lembro de todas essas musicas……musicas maravilhosas!

  12. Os ideais esquerdista são tão nefasto que a direita pra algumas pessoas se torna a esquerda ao contrário. Nesses casos a esquerda tbm vence, já que eles vivem da divisão dos indivíduos. Se o camarada dar o furiculo anal dele na sua casa o problema é dele, o problema passa a ser meu quando querem induzir meus filhos, quando querem que as mulheres da minha família toleram homens no banheiro feminino. Precisamos ser pensantes, se não vamos agir como uma horda de imbecis, como os esquerdistas, onde o cara é imbecil ou mal caracter, quem domina, quem são os cabeças na esquerda são os mal caracter, os demais são os imbecis e preguiçosos.

  13. Chico é da classe dos esquerdistas, mas um esquerdista tão convicto das maravilhas do paraíso cubano, mas que prefere morar em Paris. Sabem como é, né? Chico, como a História real cobra caro dos farsantes, coisa de intelectual meia boca como você, recorro a duas músicas da sua criação. Uma é ” Apesar de você “, que cai perfeitamente na sua hipocrisia mequetrefe. A segunda, é ” O meu guri ” que você deve ter feito para os filhos do Lula, e mesmo para o Lula, tal é a pachorra de quem como você e seus tontos colegas militantes desmamados da Lei Rouanet, se esbaldaram em dinheiro fácil para bajular o PT.

  14. Será que compôs mesmo??? Circula no YouTube declarações dele assumindo ter comprado músicas…
    Melhor ficar em Paris mesmo. Cante pro micron

  15. A música é dele, ele faz o que ele quiser. E com certeza acertou já que seu publico vai gostar da decisão. Querer controlar a vida dos outros e coisa da esquerda pessoal.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.