Coronavírus: primeiro lote da vacina chinesa chega ao Brasil

Governador João Doria acompanhou a entrega no Aeroporto Internacional de Guarulhos
-Publicidade-
O governador de São Paulo, João Doria, promove a Coronavac, que teve seus testes suspensos pela Anvisa; voluntário morreu | Foto: Divulgação/GESP
O governador de São Paulo, João Doria, promove a Coronavac, que teve seus testes suspensos pela Anvisa; voluntário morreu | Foto: Divulgação/GESP

Governador João Doria acompanhou a entrega no Aeroporto Internacional de Guarulhos

coronavac - joão doria - anvisa - evento adverso grave
O governador de São Paulo, João Doria, promove a Coronavac | Foto: Divulgação/GESP

As primeiras 120 mil doses da vacina CoronaVac chegaram ao Brasil nesta quinta-feira, 19. A carga foi importada da China, país de origem do laboratório Sinovac, empresa que a desenvolveu. O imunizante é testado no país em parceria com o governo do Estado de São Paulo, por meio do Instituto Butantan.

-Publicidade-

Leia também: Vacina da Oxford gera resposta imunológica em idosos

O governador João Doria (PSDB), o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchtey, e Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, acompanharam a chegada do lote no Aeroporto Internacional do Guarulhos, na Grande São Paulo.

Não perca “A verdade sobre a ‘vachina'”, publicada na edição 33 da Revista Oeste

Até o final de dezembro, o governo paulista deve receber 6 milhões de doses da CoronaVac, todas feitas na China. Outras 40 milhões de doses devem ser produzidas pelo Butantan a partir de janeiro, mês em que está prevista a entrega dos insumos chineses que compõem o medicamento.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Como é mesmo aquela história de quem vai pagar por essas vachinas, Bolsonaro? Você garantiu que não pagava por isso daí, agora elas chegaram, e aí, vai mandar logo a conta para todos nós? Não estou disposto a financiar essas canalhices desse governador pederasta de São Paulo, ele que aplique no traseiro de seus conterrâneos e se lasquem. No fim já sei quem vai pagar por isso daí.

  2. Aos paulistanos que optaram pela muito provável permanência do enrustido partido de esquerda vulgo PSDB, representado pelo Covas, capacho do Dória Calcinha, caso o Zé Maconha do Boulos não seja eleito, preparem-se para um novo lockdown e a obrigatoriedade da vachina após o segundo turno. Reclamar não vale hein?! Engulam seco e esperem pelas próximas eleições.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.