Covid-19: Justiça autoriza professora a não tomar a vacina

'Estamos aqui a falar da liberdade de escolha de qualquer cidadão', decide a magistrada
-Publicidade-
Foto: Gabriel Haesbaert/Ishoot/Estadão Conteúdo
Foto: Gabriel Haesbaert/Ishoot/Estadão Conteúdo

A professora Susan Theiss conseguiu uma autorização judicial para não precisar tomar a vacina contra a covid-19. A liminar foi concedida na sexta-feira 17, depois que a servidora entrou com uma ação contra a determinação da prefeitura de Gaspar (SC) obrigando funcionários públicos a se imunizarem contra a doença.

Leia também: “Aos 16 anos, Isabelli morreu depois de tomar a vacina da Pfizer”

“Estamos aqui a falar da liberdade de escolha de qualquer cidadão, que está embasada no princípio da precaução e deve ser respeitada, pois ainda existe um relativo desconhecimento por parte da ciência sobre os reais riscos das vacinas, especialmente efeitos de médio e longo prazo, pois são ainda experimentais”, decidiu a juíza Cibelle Mendes Beltrame, da 2ª Vara Cível de Gaspar.

-Publicidade-
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.