Covid-19: políticos e empresários podem ter comprado vacina falsa em MG

Soro pode ter sido aplicado no lugar do imunizante
-Publicidade-
Estima-se o desembolso de R$ 600 para cada suposta dose
Estima-se o desembolso de R$ 600 para cada suposta dose | Foto: Danilo Yoshioka/Futura Press/Estadão Conteúdo

Na última quinta-feira, 25, Oeste noticiou que empresários e políticos de Minas Gerais foram acusados de receber, de forma antecipada, vacinas contra a covid-19, ferindo a legislação vigente. O imunizante teria sido adquirido com recursos próprios no setor privado. Entretanto, o grupo pode ter sofrido um golpe. Na terça-feira 30, a Polícia Federal prendeu Cláudia Mônica Freitas — enfermeira ligada às aplicações. Em vez de imunizantes, os policiais encontraram soro no local. Estima-se o desembolso de R$ 600 para cada suposta dose.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site