Dez Estados começam a vacinar crianças hoje

Último Estado a receber as doses foi o Acre, na noite de ontem, segundo informações do Ministério da Saúde
-Publicidade-
Vários Estados do país começaram hoje a vacinação de crianças contra a covid-19
Vários Estados do país começaram hoje a vacinação de crianças contra a covid-19 | Foto: Governo do Estado de São Paulo

Pelo menos dez Estados brasileiros anunciaram o início da campanha de vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 para este sábado, 15. Os imunizantes da Pfizer destinados ao público infantil já foram encaminhados pelo Ministério da Saúde a todas as unidades da Federação.

A distribuição começou ainda na madrugada de sexta-feira 14. O último Estado a receber as doses foi o Acre, na noite de ontem, segundo informações da pasta.

Os Estados que têm cidades que já anunciaram o início oficial da vacinação infantil para hoje são Pernambuco, Maranhão, Minas Gerais, Ceará, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, Santa Catarina, Sergipe e Rio Grande do Norte. No Distrito Federal, a imunização começa no domingo 16.

-Publicidade-

Na sexta-feira, o governo do Estado de São Paulo realizou um ato simbólico no Hospital das Clínicas, na capital paulista, para marcar o início da vacinação. O indígena Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos, foi a primeira criança a ser vacinada contra a covid-19 no Brasil.

Na capital paulista, a prefeitura definiu que a vacinação do público infantil terá início na segunda-feira 17 nos postos de saúde.

Estados como Rio de Janeiro, Amazonas, Piauí, Rondônia devem começar a imunizar as crianças na segunda-feira 17. O Rio Grande do Sul projeta o início da vacinação para quarta-feira 19.

Segundo o governo federal, a vacinação infantil contra a covid-19 seguirá os seguintes critérios:

  • Em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente e para quilombolas e indígenas;
  • Sem necessidade de autorização por escrito, desde que pai, mãe ou responsável acompanhe a criança no momento da vacinação;
  • Com intervalo de oito semanas — um prazo maior que o previsto na bula, de três semanas.

Leia também: “Pais que não vacinarem os filhos contra a covid-19 podem perder a guarda?”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Mostra como a mídia financiada pelas Big Pharmas é eficiente.
    Focada numa campanha de pânico, consegue fazer a maioria da população seguir para o matadouro, sem pestanejar, sem nenhum raciocínio.
    Como cobaias.
    E ainda publicam que a vacina é segura, isso sim é desinformação.
    É tão segura que o fabricante não se responsabiliza pelos efeitos colaterais e só vende se o comprador assinar o famigerado documento.

  2. Esse anúncio é completamente inútil, o que interessa ao leitor é como estão ocorrendo essa vacinações, se estão atraindo muitos pais, se está havendo muita aceitação por parte da população. É isso que interessa, o resto é só politicagem.

  3. Pronto, começou o experimento em cobaias humanas, induzidas por uma campanha de pânico por governantes e mídia comprometidas, que só Deus sabe o resultado desta infâmia, que o Senhor tenha piedade e proteja estas crianças inocentes e indefesas da sanha destes ditadores.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.