Funcionários dos Correios ganham aumento e devem encerrar greve

Estatal está com atividades paralisadas desde o dia 17 de agosto
-Publicidade-
Foto: REPRODUÇÃO/TST
Foto: REPRODUÇÃO/TST | funcionários dos correios - greve - tst

Estatal está com atividades paralisadas desde 17 de agosto

funcionários dos correios - greve - tst
Foto: Reprodução/TST
-Publicidade-

Os funcionários dos Correios terão o salário aumentado. Na tarde desta segunda-feira, 21, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou o reajuste de 2,6% nos vencimentos mensais dos servidores da empresa estatal.

Leia mais: “Amazon e Magazine Luiza estão de olho nos Correios”

A expectativa é que a decisão da Justiça do Trabalho resulte no fim da greve dos Correios. Sob orientação da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect), concursados estão com atividades paralisadas desde 17 de agosto.

Além de críticas ao presidente Jair Bolsonaro e ao projeto de privatização da companhia, a entidade sindical defende a manutenção de privilégios. É o caso, por exemplo, do vale-peru natalino. Na última quinta-feira, um grupo de cerca de 50 pessoas fechou a Avenida Paulista como forma de protesto.

Fora a concessão do aumento salarial, o TST entendeu que a greve não foi abusiva. Dessa forma, os servidores públicos não sofrerão punições severas. Os funcionários que aderiram à greve terão metade do período descontada em folha. A outra metade dos dias de paralisação terá de ser compensada com trabalho.

Retorno

Até o início desta noite, o Fentect não se manifestou. Se não voltar ao trabalho, a categoria de funcionários dos Correios terá de arcar com multa diária de R$ 100 mil.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.