Garotinho tem pena aumentada pelo TRE-RJ e fica inelegível até 2029

Ex-governador do Rio é acusado de compra de votos na eleição de 2016 para favorecer sua esposa, Rosinha, então prefeita de Campos dos Goytacazes
-Publicidade-
Garotinho não poderá se candidatar a nenhum cargo pelos próximos oito anos
Garotinho não poderá se candidatar a nenhum cargo pelos próximos oito anos | Foto: Tânia Rêgo/Agencia Brasil

Em julgamento realizado na quinta-feira 4, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) aumentou a pena imposta ao ex-governador do Rio Anthony Garotinho. Ele foi condenado por corrupção eleitoral, associação criminosa, supressão de documento e coação nas eleições municipais de 2016. Os crimes foram investigados pela Operação Chequinho.

A pena de Garotinho foi fixada em 13 anos, 9 meses e 20 dias de reclusão em regime fechado, além do pagamento de 44 dias-multa. Inicialmente, a Justiça Eleitoral de Campos dos Goytacazes (RJ) havia condenado o ex-governador a 9 anos e 11 meses de prisão.

-Publicidade-

Leia também: “Ex-governador do Rio, Anthony Garotinho agora vende panetone”

Compra de votos e aumento de pena

Segundo a Promotoria Eleitoral em Campos dos Goytacazes, Garotinho usou o programa de transferência de renda Cheque Cidadão, destinado a pessoas em situação de vulnerabilidade social, para “cooptar votos para seu grupo político”. Na época, ele ocupava a Secretaria de Governo do município, então comandado por sua esposa, Rosinha Garotinho, também ex-governadora do Rio.

“O réu foi o líder de uma reedição do antigo coronelismo nesta moderna versão, em que, em vez de cabresto, houve o oferecimento de troca de votos pela inclusão no programa”, anotou o desembargador eleitoral Paulo César Vieira de Carvalho, relator do processo.

O Ministério Público Eleitoral, em sua manifestação pelo aumento da pena, destacou que “as provas reunidas apontam de forma inequívoca a existência de um estratagema criminoso que deturpou a utilização do referido programa social, de forma espúria e sabidamente ilícita, em favor de um grupo político e em prejuízo dos cofres públicos”.

Com a condenação, Garotinho fica inelegível pelos próximos oito anos, até 2029.

Com informações da Agência Brasil

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.