Governo de SP inicia hoje vacinação de crianças

Grupos prioritários são formados por crianças com comorbidade ou deficiência, além de indígenas e quilombolas
-Publicidade-
Vacinação do público infantil começa oficialmente nesta sexta-feira, 14, no Estado de São Paulo
Vacinação do público infantil começa oficialmente nesta sexta-feira, 14, no Estado de São Paulo | Foto: Divulgação/Unsplash

O governo do Estado de São Paulo anunciou que a vacinação de crianças contra a covid-19 começará oficialmente nesta sexta-feira, 14. O governador João Doria (PSDB) estará presente no início da imunização, em um evento programado para o meio-dia no Hospital das Clínicas.

Na capital paulista, a prefeitura definiu que a vacinação do público de 5 a 11 anos terá início na segunda-feira 17 nos postos de saúde.

Segundo o governo do Estado, cerca de 4,3 milhões de crianças devem ser vacinadas em um período de três semanas.

-Publicidade-

Os grupos prioritários são formados por crianças que possuam algum tipo de comorbidade ou deficiência, além de indígenas e quilombolas.

Segundo a administração estadual, a capacidade de vacinação de São Paulo é de 250 mil crianças por dia, mas este número pode até aumentar, dependendo da demanda.

O pré-cadastro para a vacinação do público infantil foi liberado na quarta-feira 12.

Apesar de a vacinação contra a covid-19, pelo menos em tese, não ser obrigatória no Brasil, os pais e mães que decidirem não imunizar seus filhos contra a doença causada pelo novo coronavírus podem ser denunciados ao Conselho Tutelar e, eventualmente, ter de responder na Justiça — como noticiado ontem por Oeste.

O governo de São Paulo usa como argumento o Artigo 14 da Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Segundo o parágrafo 1º, “é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”.

A medida vai em sentido contrário à orientação dada pelo Ministério da Saúde ao anunciar o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19. De acordo com a pasta, a imunização não é obrigatória no Brasil — seja para adultos ou crianças.

Neste primeiro momento, não será exigido o chamado “passaporte da vacina” para que as crianças frequentem as escolas no retorno às aulas, a partir de fevereiro — nem na capital paulista nem no Estado.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.