Governo vai lançar programa para reduzir consumo de energia

Previsão do ministro de Minas e Energia é que medida comece a valer no próximo mês
-Publicidade-
Ministro Bento Albuquerque durante discurso na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais | Foto: Divulgação/MME
Ministro Bento Albuquerque durante discurso na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais | Foto: Divulgação/MME

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o governo vai lançar um programa de bonificação para estimular a redução do consumo de energia, com previsão de entrar em vigor em setembro. A fala aconteceu nesta quinta-feira, 12, durante evento da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais.

Leia mais: “Crise hídrica preocupa 90% dos empresários, aponta pesquisa da CNI”

“Nós pretendemos, até o final desse mês, estar com tudo preparado e vamos apresentar esse plano que vai entrar em vigor a partir do dia 1º de setembro. Os consumidores residenciais também vão fazer parte desse programa de adesão voluntária na redução do consumo de energia. Nós temos energia suficiente. O que nós temos que balancear agora para que não haja possibilidade de apagão, é justamente a demanda”, disse o ministro.

-Publicidade-

O que esperar da política energética e mineral”, entrevista com o ministro Bento Albuquerque publicada na Edição 42 da Revista Oeste

O Brasil passa por um crise hídrica, decorrente do baixo volume de chuva que abastece as hidrelétricas, por isso, há pouco mais de dois meses o governo acionou as usinas termelétricas, que produzem energia a partir da queima de combustíveis, como o petróleo, para aumentar o abastecimento nacional.

 

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários

  1. Até hoje nenhuma campanha foi aplicada com sucesso, em se tratando de energia elétrica. Na época do Lobão incentivaram a troca das lâmpadas. A economia foi pro espaço com o aumento de tarifa. Duas novas lâmpadas diferentes. O povo financiou a troca de padrão das tomadas. Além do ônus de ter um padrão único, no mundo, o Brasil paga os adaptadores necessários aos equipamentos que vêm do exterior.

  2. Temos tantos telhados “queimando” ao sol, só para “deixar o sol de fora”. Todas as repartições públicas deveriam ter sua própria usina solar. Telhado não falta.

  3. Vamos começar enxugando a máquina pública, que suga e desperdiça a energia do país. Passe a noite por Brasília , prédios públicos vazios, com as luzes acesas. Um”espetáculo” de desperdício .
    AQUI É O BRASIL.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro