Ministério da Saúde recomenda intervalo de 3 meses entre doses da Pfizer

Período é superior aos 21 dias indicados pela empresa na bula da vacina
-Publicidade-
Vacina da Pfizer será aplicada no Brasil com intervalo de 12 semanas entre primeira e segunda dose
Vacina da Pfizer será aplicada no Brasil com intervalo de 12 semanas entre primeira e segunda dose | Foto: Divulgação/Pfizer

Em informe técnico divulgado ontem, segunda-feira 3, o Ministério da Saúde recomendou a Estados e municípios brasileiros que adotem um intervalo de 12 semanas entre as duas doses da vacina da Pfizer contra a covid-19. O imunizante chegou ao país na quinta-feira 29 e já começou a ser distribuído.

O intervalo de três meses recomendado pela pasta é superior ao período de 21 dias entre as doses indicado pela Pfizer na bula da vacina, com base em testes de segurança e eficácia. O governo brasileiro decidiu seguir o exemplo do Reino Unido, que também adota 12 semanas entre a primeira e a segunda dose do imunizante.

-Publicidade-

Leia mais: “Queiroga: novo contrato com a Pfizer deve ser fechado até o fim da semana”

Segundo o ministério, a decisão foi tomada com o objetivo de imunizar o maior número possível de brasileiros com a primeira dose, o que “traria maiores benefícios do ponto de vista de saúde pública, considerando a necessidade de uma resposta rápida frente à pandemia de covid-19”.

Ainda de acordo com a recomendação técnica da pasta, a ampliação da oferta da primeira dose da vacina da Pfizer a um número maior de brasileiros “poderá trazer ganhos significativos do ponto de vista de saúde pública, reduzindo tanto a ocorrência de casos e óbitos pela covid-19 nos indivíduos vacinados, mas também a transmissibilidade da doença na população”.

Leia também: “Vacina da Pfizer começa a ser distribuída no Brasil”

Em nota, a Pfizer reiterou que a bula da vacina indica um intervalo de 21 dias entre uma dose e outra, mas destacou que as autoridades sanitárias de cada país têm autonomia para definir os critérios de dosagem do produto. “A bula hoje registrada pela Anvisa preconiza um intervalo entre doses, preferencialmente, de 21 dias. A segurança e a eficácia da vacina não foram avaliadas em esquemas de dosagem diferentes, uma vez que a maioria dos participantes do ensaio recebeu a segunda dose dentro da janela especificada no desenho do estudo”, afirma a empresa.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site