O Diário de Anne Frank: alunos de escola paulistana leem versão considerada erótica por pais

Famílias redigiram um abaixo-assinado contra o livro usado por crianças entre 11 e 12 anos da sétima série
-Publicidade-
Página do livro <i>The Anne Frank's Diary: The graphic adaptation</i> | Foto: Reprodução
Página do livro The Anne Frank's Diary: The graphic adaptation | Foto: Reprodução

Estudantes entre 11 e 12 anos do sétimo ano da Escola Móbile, na capital paulista, tiveram de ler uma versão do livro O Diário de Anne Frank que os pais consideraram erótica. Adaptada em quadrinhos pelo escritor Ari Folman e com selo da Unicef e da Fundação Anne Frank, a obra apresenta uma personagem um pouco diferente da garotinha fugindo dos nazistas na década de 1940.

Depois da leitura de algumas páginas durante uma aula de inglês ministrada ontem, terça-feira 1º, os alunos se depararam com trechos que causaram constrangimento, de acordo com as famílias. Segundo relatos das crianças aos pais, o professor pediu que partes do material fossem reproduzidas, em voz alta, na sala de aula. Leia abaixo:

-Publicidade-

“Entre suas pernas existem coisas macias e acolchoadas, também cobertas com pelos, que se comprimem quando você está de pé, para que você não consiga ver o que tem dentro. Elas estão separados quando você se senta, e são muito vermelhas e completamente carnudas por dentro. Na parte superior, entre os lábios externos, há uma prega de pele que, no segundo pensamento, parece uma espécie de bolha. Esse é o clitóris.”

“A parte superior tem alguns orifícios pequenos, que é por onde sai a urina. A parte inferior parece ser apenas pele, mas é onde está a vagina. Você mal consegue encontrar porque as dobras da pele escondem a abertura. O buraco é tão pequeno que mal posso imaginar como um homem poderia entrar lá, muito menos como um bebê poderia sair. Já é difícil tentar colocar seu dedo indicador dentro. Isso é tudo que existe e, no entanto, desempenha um papel tão importante!”

“Devo admitir, cada vez que vejo uma mulher nua, fico em êxtase. Se eu tivesse uma namorada!”

Veja imagens

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Reação

Após o episódio, um abaixo-assinado chegou à direção da escola. No documento subscrito por cerca de 90 pais, critica-se a exposição de crianças a um material que avaliaram ser de conotação sexual. “Questionamos a adoção da versão com páginas de cunho sexual inapropriado para alunos de, no máximo 12 anos, — o que põe, inclusive, o tema central do Holocausto em segundo plano”, afirmam os pais. “A obra anteriormente utilizada pela escola Anne Frank. The Diary of a Young Girl’ nos últimos cinco anos não apresentava conteúdo controverso e tampouco causava constrangimento aos alunos e às famílias.”

Na papelada, solicita-se a volta do livro utilizado nos anos anteriores sob o argumento de que o pai de Anne Frank, Otto Frank, retirou do diário original partes que considerou inapropriadas: “Solicitamos, diante do exposto, que voltem a utilizar a versão da obra adotada anteriormente. Além disso, aproveitamos a oportunidade para requisitar uma reunião conjunta urgente com a diretoria-geral da escola, para podermos expor nossos pontos de vista e ouvirmos as justificativas pelo material adotado por parte da escola em 2021.” Confira, abaixo, o documento:

A escola

Em resposta aos pais, a Escola Móbile informou que trata-se de um livro premiado: “Neste ano, a Coordenação da área de inglês selecionou uma versão em quadrinhos de autoria dos premiados artistas israelenses Ari Folman e David Polonsky desse que é considerado o diário mais importante do século XXI, a fim de ampliar o desafio linguístico que a adaptação anterior não apresentava e de dialogar com uma linguagem que é bastante cara à faixa etária dos pré-adolescentes do Ensino Fundamental II. Mesmo assim, acreditando sempre que a parceria entre as famílias e a escola é primordial para a aprendizagem efetiva de nossos estudantes, disponibilizaremos, no Móbile Virtual, outra versão do livro: The diary of a young girl, da Editora Pearson.”

A Revista Oeste entrou em contato com o colégio. Eis o posicionamento da instituição:

“A Escola Móbile adotou, em uma atividade da disciplina de inglês para o 7º ano do Ensino Fundamental, o livro Anne Frank’s Diary: The Graphic Adaptation, uma versão oficial da história da jovem judia, referendada pela Unicef e pela Fundação Anne Frank. Trata-se do Diário de Anne Frank em quadrinhos. A leitura integra um projeto amplo para o debate e reconhecimento dos horrores do Holocausto, estimulando a reflexão sobre seu contexto histórico. A escola optou pela utilização da versão da obra em quadrinhos, entre outros motivos, pelo fato de que o formato torna a leitura mais atraente e dinâmica para os estudantes dessa faixa etária. A obra tem indicação para a faixa etária entre 8 e 12 anos de idade, segundo a editora Record, parceira oficial da Fundação Anne Frank no Brasil e que, inclusive, atesta que a obra ‘retrata de forma fiel’ o diário de Anne Frank. A Móbile salienta que todo o conteúdo textual da edição consta no diário original redigido por Anne Frank, inclusive os trechos pontuais que suscitaram a referida discussão. Por fim, a escola tem conversado com alguns pais que levantam dúvidas sobre o conteúdo do livro.”

Leia também: “A estupidez da linguagem neutra”, reportagem publicada na Edição 62 da Revista Oeste

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site