Ouro apreendido pela PF pertence a empresa de ex-candidato pelo PSDB

O carregamento, estimado em R$ 23 milhões, era escoltado por policiais militares
-Publicidade-
O material foi apreendido pela Polícia Federal para averiguação
O material foi apreendido pela Polícia Federal para averiguação | Foto: Divulgação

Os quase 80 quilos de ouro apreendidos pela Polícia Federal (PF) em Sorocaba, no interior de São Paulo, na última quarta-feira, 4, pertencem à empresa FD Gold, uma distribuidora de valores. Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o proprietário é o empresário Dirceu Frederico Sobrinho.

Dirceu Sobrinho foi filiado ao PSDB e, em 2018, chegou a concorrer como primeiro suplente do senador Flecha Ribeiro, pelo Estado do Pará. PSDB é o mesmo partido do governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, e do ex-governador João Doria, ambos em campanhas eleitorais.

O carregamento de ouro apreendido pela PF estava sendo escoltado por um grupo de policiais militares paulistas, dois deles lotados na Casa Militar, a unidade da Polícia Militar instalada dentro do Palácio dos Bandeirantes e responsável pela segurança dos governadores, entre outras funções.

-Publicidade-

Segundo a reportagem do jornal, os PMs relataram aos superiores que estavam a serviço dessa empresa.

Em nota distribuída, a Polícia Federal afirmou que agentes monitoravam a aterrissagem de um avião particular King Air no Aeroporto Estadual de Sorocaba. E, com o apoio da Polícia Militar, eles abordaram dois veículos, na Rodovia Castelo Branco, próximo ao quilômetro 74, sentido capital. Dentro dos veículos, foram encontradas três malas contendo as barras de ouro e também uma quarta mala com documentos diversos.

A PF afirmou, ainda, que o avião utilizado no transporte do ouro também foi apreendido, porque é objeto de sequestro criminal em outro inquérito policial. “As circunstâncias da utilização proibida da aeronave serão apuradas.”

A Corregedoria da PM vai investigar a conduta dos policiais identificados na escolta. O carregamento é estimado em cerca de R$ 23 milhões e teria saído dos Estado do Pará e de Mato Grosso.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.