Prefeito de Florianópolis tenta justificar viagem a Cancún em meio à pandemia

Gean Loureiro estava com a família em resort
-Publicidade-
Gean Loureiro: prefeito de Florianópolis e turista em Cancún
Gean Loureiro: prefeito de Florianópolis e turista em Cancún | Foto: Reprodução/NSC TV

As férias de Gean Loureiro (DEM) em Cancún, no México, acabou com pedido de desculpas. Prefeito de Florianópolis (SC), cidade que tem registrado UTIs lotadas em meio a novos casos de covid-19, ele tentou amenizar a situação sobre as férias que decidiu tirar em meio à pandemia. Na noite de domingo 28, afirmou que o passeio internacional foi previamente planejado antes da saúde do município entrar em colapso.

Leia mais: “Pandemia de coronavírus completa um ano no Brasil”

-Publicidade-

Loureiro ficou mais de uma semana hospedado em um resort na cidade turística do México — informação posteriormente confirmada pela equipe de comunicação do prefeito. Acompanhado da família, ele voltou ao Brasil no último fim de semana. Além de tentar se desculpar, colocou-se como alguém que teria atuado na linha de frente no combate ao coronavírus em Florianópolis.

“Como sabem, estive afastado durante os últimos dias, num descanso planejado há tempos. Imaginava que, nessa altura, estaríamos com uma situação estável na cidade, com a vacinação acontecendo e os números melhorando. As circunstâncias mostraram que eu estava errado”, afirmou Gean Loureiro em sua página no Facebook. O político do DEM não explicou, no entanto, a razão de não ter cancelado a viagem para Cancún.

“Senti que precisava muito parar, mesmo que por poucos dias”, afirma o prefeito que, meio à pandemia, resolveu ir para Cancún

Ainda na tentativa de justificar o passeio em família, o prefeito de Florianópolis afirmou ter passado por um ano muito difícil. Nesse sentido, garante que precisava descansar. “Senti que precisava muito parar, mesmo que por poucos dias, e lembrar que, como todos seres humanos, temos limites”, pontuou o mandatário que integra o mesmo partido de figuras como Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e Chico Rodrigues.

Saída de Cancún e retorno ao Brasil

Na tática de se defender das críticas, Gean Loureiro revela a intenção de ter voltado antes ao Brasil, mas que precisou seguir protocolos definidos por autoridades sanitárias mexicanas. “Já no início da semana passada, tomei a decisão de retornar imediatamente. Mas, para isso, tive que aguardar o resultado do teste PCR obrigatório de covid-19, sem o qual não seria autorizado a retornar de viagem”. Além disso, garantiu ter tido problema na parte de logística. “Também tive dificuldades para reagendar meu voo”, afirmou.

Pedido de desculpas

Em meio às justificativas de cansaço e planejamento prévio para a viagem internacional, o prefeito de Florianópolis jurou ter trabalhado de forma remota — em pleno resort em Cancún — com a sua equipe. Garante ter feito reuniões com secretários municipais. Em apenas uma frase, ele reconhece ter errado. Em outra, de forma genérica, ele tenta se desculpar pelo caso. “Por isso, peço sinceras desculpas à cidade.”

Íntegra do posicionamento

Confira, abaixo, o texto completo divulgado por Gean Loureiro:

Pessoal, devo satisfações a vocês.
Como sabem, estive afastado durante os últimos dias, num descanso planejado há tempos. Imaginava que, nessa altura, estaríamos com uma situação estável na cidade, com a vacinação acontecendo e os números melhorando. As circunstâncias mostraram que eu estava errado.
Depois de um ano tão difícil para todos, senti que precisava muito parar, mesmo que por poucos dias, e lembrar que, como todos seres humanos, temos limites.
Infelizmente, a situação no nosso estado se agravou numa velocidade inimaginável, fato que exigia minha presença com urgência.
Já no início da semana passada, tomei a decisão de retornar imediatamente. Mas, para isso, tive que aguardar o resultado do teste PCR obrigatório de Covid, sem o qual não seria autorizado a retornar de viagem. Também tive dificuldades para reagendar meu voo.
Acreditei que realizando reuniões diárias com toda nossa equipe de saúde, com o governo do estado e prefeitos da região de maneira virtual poderia suprir minha ausência presencial. Na verdade isso não foi suficiente num momento crítico. Reconheço que não deveria ter me ausentado. Por isso, peço sinceras desculpas à cidade.
Quem me acompanha sabe que sempre estive e estarei na linha de frente em todos os momentos críticos da nossa cidade, sem jamais me omitir. Mesmo assim, recebo com humildade as merecidas críticas por esse episódio, as quais procurarei recompensar com total dedicação e muito trabalho.

Leia também: “O que falta para o SUS funcionar direito?”, reportagem publicada na Edição 47 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.