-Publicidade-

Relator da Lava Jato no TRF-4 defende operação após ataques de Gilmar Mendes

João Pedro Gebran Neto abriu a sessão do tribunal destacando os 7 anos da operação e assegurando 'independência'
João Pedro Gebran Neto
João Pedro Gebran Neto | Foto: Reprodução/TRF-4

Um dia depois das fortes críticas do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), aos procedimentos adotados pela Lava Jato, o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos envolvendo a operação no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), saiu em defesa do trabalho dos procuradores.

Na abertura da sessão desta quarta-feira, 10, Gebran afirmou que todas as decisões sobre os processos foram tomadas “com absoluta independência”. “Temos a convicção de que empregamos o máximo das nossas capacidades, aplicamos o melhor direito e atuamos com o maior espírito de justiça. As muitas decisões examinadas e mantidas pelo Superior Tribunal de Justiça [STJ] reforçam essa convicção”, afirmou.

Leia mais: “Bretas rebate Gilmar, nega ilegalidades e se diz de ‘consciência tranquila'”

“Todos os feitos foram julgados com dedicação, cuidadoso estudo dos autos, acurado exame da provas licitamente obtidas, apreciação dos fatos imputados e dos direitos reivindicados pelas partes.”

Gebran destacou que a Lava Jato completa 7 anos neste mês e “desvelou o maior escândalo de corrupção da história deste país”. “Nesta data, vejo-me na obrigação de reafirmar que todos nós, na composição atual desta turma e na anterior, na 4ª Seção desta Corte, bem como Corte Especial, levamos nosso compromisso em cumprir a Constituição e as leis da República com o maior empenho e seriedade. Atuamos com absoluta independência, imparcialidade, isenção de ânimo e respeito às partes.”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

10 comentários

  1. Afinal, o STF não condena o ataque às instituições? Como entender Gilmar Mendes atacar o próprio Judiciário de instância inferior? Existe na Constituição um poder superior aos 3 Poderes da Republica que precisam ser independentes e viver em harmonia?
    Será que “não juristas” como eu não sabem ler o “português” da Constituição? É tão complexo assim interpretar o art.142, que oferece o mecanismo necessário para harmonizar essa independência dos Poderes?

  2. O que marca esta posição é a palavra INDEPENDÊNCIA, algo que o STF despreza e decide com base na política-ideológica. Qual inocente foi preso pela Lava-Jato que foi jungida por Juízes, Desembargadores e Ministros do STJ com altos elogios?

    1. Pra ser do STF: primeiro não precisa saber nada da constituição, segunda tem que ter padrinhos ladrões e por fim ser um vigarista de corpo e alma.

  3. Já passou da hora de desembargadores e juízes honestos do Brasil peitarem esse lixo do STF. Aceitar calado é concordar. Tem que ir pro enfrentamento.

  4. Lamentavelmente, a atual composição do STF está a cada dia mais se tornando objeto de chacotas!!! Gilmar Mendes, por exemplo, se esmera em contribuir ativamente para tanto, não desperdiçando oportunidade de ser ridículo. A última, foi dizer que Moro deveria calçar as sandálias da humildade!!!

  5. Gilmar vc não nos representa muito menos a justiça brasileira.
    Neste link (https://youtu.be/TSrU4gFfblE )
    Ministro Barroso diz toda a verdade sobre o Gilmar, as decisões de Gilmar está custando muito caro para toda a nação brasileira, mas tenho certeza que logo vc vai cair do cavalo, a justiça DIVINA vai cobrar tudo com juros e correções.

    “Gilmar se vc tiver coragem saia nas ruas sem seu seguranças, vc verá o ódio que fez crescer no coração de cada cidadão de bem.”

    Ass: Cidadão brasileiro de bem.
    Dt: 11/03/2021

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.