Varíola dos macacos: Anvisa sugere ‘distanciamento e uso de máscara’ em aeroportos

O reforço nas medidas deve ser aplicado para retardar a entrada do vírus no país
-Publicidade-
Movimentação de passageiros no Aeroporto Internacional de Brasília | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Movimentação de passageiros no Aeroporto Internacional de Brasília | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está pedindo reforço de medidas não farmacológicas, como distanciamento, uso de máscara e higienização frequente das mãos em aeroportos e aeronaves, para retardar a entrada do vírus da varíola dos macacos no Brasil.

“A Anvisa mantém-se alerta e vigilante quanto ao cenário epidemiológico nacional e internacional, acompanhando os dados disponíveis e a evolução da doença, a fim de que possa ajustar as medidas sanitárias oportunamente, caso seja necessário à proteção da saúde da população”, informou a agência em nota nesta terça-feira, 24.

Desde o início do mês, ao menos 120 ocorrências da doença foram confirmadas em 15 países. O Ministério da Saúde instituiu uma sala de situação para monitorar o cenário no Brasil. Segundo o órgão, a medida tem como objetivo elaborar um plano de ação para o rastreamento de casos suspeitos e na definição do diagnóstico clínico e laboratorial para a doença.

-Publicidade-

No domingo, foram registrados casos suspeitos na vizinha Argentina. A varíola dos macacos é uma doença original de roedores silvestres, mas isolada inicialmente em macacos. É frequente na África, mas de ocorrência muito rara em outros continentes.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.