Vivo é condenada a pagar multa de R$ 8,3 mi por ‘práticas inflacionárias’

Operadora é acusada de impor cláusulas abusivas em contratos de banda larga e promover deslealdade comercial
-Publicidade-
A Vivo foi condenada por 'práticas inflacionárias'
A Vivo foi condenada por 'práticas inflacionárias' | Foto: Divulgação/Vivo

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) aplicou uma multa de R$ 8,3 milhões à operadora Vivo por práticas inflacionárias. A condenação por violações ao Código de Defesa do Consumidor (CDC) foi validada nesta terça-feira, 4, pela Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

A operadora é acusada de impor cláusulas abusivas em contratos de banda larga, praticar deslealdade comercial ao ofertar serviços impróprios e cometer falhas no fornecimento de serviço de telefonia móvel. As denúncias são de Guarulhos, Ourinhos, Socorro, Bragança Paulista, Cotia e São Paulo.

A Vivo recorreu da decisão, mas o desembargador Armando Camargo Pereira determinou que o Poder Judiciário não é instância revisora ou recursal de decisões proferidas em procedimentos administrativos. De acordo com o desembargador, sua função é apenas constatar se cabe a anulação ou a modificação do ato administrativo.

-Publicidade-

Pereira salientou ainda que não há ilegalidade no auto de infração, pois o Procon-SP constatou de fato a violação à legislação consumerista. Portanto, segundo o desembargador, a multa à Vivo foi aplicada de forma motivada e proporcional pela autoridade competente.

Com informações do portal CanalTech

Leia mais: “ITA assina termo com o Procon-SP para ressarcir consumidores”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.