Auxílio Brasil: 9 benefícios do novo programa do governo federal

Orçamento previsto para 2022 para custear a medida é de R$ 53 bilhões
-Publicidade-
Fachada do Ministério da Economia | Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil
Fachada do Ministério da Economia | Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Em artigo publicado na Edição 74 da Revista Oeste, o economista Ubiratan Jorge Iorio destrincha o novo programa social do governo federal — o Auxílio Brasil. Em susbtituição ao Bolsa Família, ainda não se sabe qual será o valor do novo benefício. O orçamento do Auxílio Brasil previsto para 2022 é de R$ 53 bilhões — R$ 18 bilhões a mais que o do Bolsa Família.

O Auxílio Brasil é composto de nove benefícios:

1) Primeira Infância, para famílias com crianças de até 3 anos;

-Publicidade-

2) Composição Familiar, para gestantes e pessoas entre 3 e 31 anos (ambos limitados a cinco pessoas por família);

3) Superação da Extrema Pobreza, para grupos que, mesmo recebendo os dois anteriores, ainda apresentem renda per capita inferior à definida como de pobreza extrema (este sem limitação);

4) Auxílio Esporte Escolar, para estudantes entre 12 e 17 anos que se destacarem nos Jogos Escolares Brasileiros;

5) Bolsa de Iniciação Científica Júnior, para estudantes com bom desempenho em competições acadêmicas e científicas;

6) Auxílio Criança Cidadã, para os responsáveis por crianças de até 4 anos que tenham alguma renda, mas não encontrem vagas em creches públicas nem privadas;

7) Auxílio Inclusão Produtiva Rural, a ser pago aos agricultores familiares inscritos no Cadastro Único, por até 36 meses;

8) Auxílio Inclusão Produtiva Urbana, para os participantes que comprovarem vínculo de emprego formal;

9) Benefício Compensatório de Transição, para famílias que estão na folha de pagamentos do Bolsa Família e perderem parte do valor recebido em decorrência da passagem para o novo programa.

Leia um trecho do artigo:

Preocupações com o estouro do teto à parte, o novo programa, sem dúvida, é superior ao Bolsa Família. É mais apurado, mostra preocupação efetiva com o mérito e com a economia de mercado. Não presta culto ao Estado e exibe, desde o seu lançamento, a melhor régua para medi-lo: a porta de saída, assegurando que seja transitório.”

Leia o artigo completo: “Auxílio Brasil, o novo Bolsa Família”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

  1. Inconcebível mesmo é o “Salário Mínimo” você ganha menos de mil reais depois do desconto da previdência e deixa quinhentos no supermercado e vai sobreviver com quatrocentos reais durante um mês. Os aumentos concedidos ao mínimo dos mínimos explica-se pelo fato do número de aposentados ser gigantesco. Daí o trabalhador na ativa é penalizado por esse fator. Porque o governo não propõe um salário mínimo diferente pra quem tá na ativa? não que o aposentado não mereça ganhar mais; mas um aumento de R$: 20,00 pra quem começa o dia e não sabe como acaba, é uma esmola. Parece-me que dinheiro não é problema para a união.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro