Banco Central está ampliando discussões sobre moedas digitais

O presidente da instituição afirmou durante uma conferência que a intenção é que o processo não seja disruptivo para os bancos
-Publicidade-
Campos Neto participou nesta quinta-feira, 7, de um evento promovido pelo Banco de Compensações Internacionais
Campos Neto participou nesta quinta-feira, 7, de um evento promovido pelo Banco de Compensações Internacionais | Foto: Divulgação/Flickr

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse nesta quinta-feira, 7, que a instituição está ampliando as discussões e avançando no tema das moedas digitais, porém, com cuidado para que o processo não seja disruptivo para os bancos.

“Temos avançado, temos muitas coisas a resolver para assegurar que as moedas digitais não sejam disruptivas para os balanços das instituições”, afirmou o executivo em uma conferência virtual promovida pelo Banco de Compensações Internacionais, para tratar da regulação das big techs.

Durante o evento, o presidente do BC destacou ainda que no Brasil, o open finance — sistema que permite aos clientes escolherem com quais instituições vão compartilhar os dados cadastrais — será “muito inclusivo”, com produtos diferentes sendo colocados na plataforma, incluindo planos de saúde.

-Publicidade-

Leia mais: “‘Open banking’ permitirá maior competitividade entre bancos, projeta BC”

De acordo com Campos Neto, a mensagem final, no front da inovação e tecnologia, é que o BC quer garantir que não haja produção de dados que se desenvolvam de tal forma que, no futuro, o sistema financeiro fique sem competitividade.

‘Autoridades monetárias não devem interromper inovação’, diz BC da França

O presidente do BC da França, François Villeroy, afirmou no mesmo evento que “não há contradição entre regulação e inovação” de criptomoedas.

Villeroy disse ainda que um mercado desregulado de criptomoedas “pode gerar instabilidade” e afetar a proteção ao consumidor. De acordo com ele, as autoridades monetárias precisam ser “claras sobre o nosso papel como reguladores” e, ao mesmo tempo, não interromper a inovação.

Leia também: “Banco Mundial eleva expectativa de crescimento do Brasil para 5,3%”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.