-Publicidade-

Congresso vai pressionar Guedes contra nova CPMF

O ministro da Economia participa nesta quarta-feira, 5, de uma reunião da comissão mista do Congresso da reforma tributária
Ministro da Economia, Paulo Guedes, protocolou proposta no Congresso | Foto: Pedro França/Agência Senado
Ministro da Economia, Paulo Guedes, protocolou proposta no Congresso | Foto: Pedro França/Agência Senado | Guedes tributária

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participa de sessão da comissão da reforma tributária e Congresso promete reagir contra criação da CPMF

Congresso CPMF
Recriação do imposto é estudada por Guedes | Foto: Pedro França/Agência Senado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participa amanhã, quarta-feira 5, de uma reunião da comissão mista do Congresso da reforma tributária. Contudo, parlamentares já admitem que a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) vai tomar conta do encontro.

O governo flerta com a possibilidade de criação de um imposto nos moldes da antiga CPMF. A proposta ainda não foi finalizada pela equipe econômica e pode ser apresentada em uma segunda parte da reforma tributária.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, senadora Simone Tebet (MDB-MS), criticou o governo pela tentativa de propor o imposto como uma ideia inédita.

Leia mais: “CPMF: por que essa discussão sempre volta à tona no Brasil?”

“Passar um batom na CPMF não vai transformá-la em tributo novo, nem melhor. Camuflada, repaginada, continuará CPMF, só que em versão 2.0”, observou a emedebista.

Já o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) pondera que um imposto desenhado de forma a “racionalizar” a arrecadação pode ser positivo para a economia. Sem dar detalhes, ele também evita comparar uma nova proposta com a CPMF.

“Nós temos que ser absolutamente favoráveis à criação de um imposto que possa ser distribuído de forma equitativa para toda a sociedade, porque vai obviamente melhorar a vida das pessoas”, disse.

De acordo com o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a participação de Guedes na reunião vai servir para descartar a ideia da CPMF. “É um primeiro passo. Pelo menos ficará claro quais ideias não podem prosperar, esta que o ministro está defendendo que implica mais impostos.”

Com informações da Agência Senado

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comentários

    1. Nunca é bom, mas nesse caso tem que ser feito pra melhorar a vida tbm do empregador e ter mais investimentos, empregos, renda e concorrência. Vamos pagar por isso? SIM, MAS vamos ter resultados a curto,médio e longo prazo. O mundo inteiro quer lucrar aqui e com isso todos irão se beneficiar.

  1. Randolfe Rodrigues, pernambucano, eleito senador pelo Amapá com pouco mais de 200 mil votos(estilo Sarney), da um trabalho danado. Vota contra tudo (reforma trabalhista, da previdência, do saneamento básico) e surpreendentemente até contra a MP 871 de combate as fraudes da previdência. Pior, judicializa tudo. Não tem competência para discutir a simplificação de tributos.

  2. CPMF, ou que nome tenha, não deve prosperar. Imposto cumulativo, gerando injustiças tributária,.
    Sou contra e vou pelejar contra.
    O Governo está se desgastando à toa.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês