-Publicidade-

Governo federal fecha acordo com empresas aéreas para manter voos

Medida garante que Estados mantenham pelo menos uma linha em operação O governo federal fechou acordo com as companhias Azul, Gol e Latam para que, mesmo com a redução drástica…

Medida garante que Estados mantenham pelo menos uma linha em operação

O governo federal fechou acordo com as companhias Azul, Gol e Latam para que, mesmo com a redução drástica nos voos, nenhum Estado fique sem pelo menos uma ligação aérea.

Como parte das ações do governo para o setor, há o esforço de manter os aeroportos abertos ao tráfego, em alinhamento com os governos estaduais.

O acordo foi firmado ontem, segunda-feira 23, após reunião entre as companhias aéreas, o Ministério da Infraestrutura e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, embora com demanda reduzida, é importante manter os aeroportos em funcionamento e as linhas aéreas disponíveis para que se efetuem os serviços essenciais.

“O Brasil já conta com um déficit na balança comercial do setor de saúde e boa parte da distribuição de remédios, vacinas, insumos e equipamentos hospitalares é feita nos porões da aviação comercial”, reforçou o ministro.

De acordo com informações do Ministério da Infraestrutura, Tarcísio Freitas também destacou a importância do apoio estadual à operação para que o transporte aéreo seja considerado um dos serviços essenciais a ser mantido em pleno funcionamento, .

Já o diretor-presidente da Anac, Juliano Noman, afirmou que muitos países suspenderam as operações das companhias aéreas, o que prejudica a economia e a saúde da população.

“Trabalhamos intensamente junto às empresas para possibilitar a manutenção de uma rede doméstica capaz de garantir um serviço aéreo mínimo no Brasil”, acrescentou.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês