Índice de Confiança da Indústria sobe em junho, diz FGV

No mês de junho, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) subiu
-Publicidade-
Foto:  Jon Kline/ Pixabay
Foto: Jon Kline/ Pixabay | Índice de Confiança da Indústria

Conforme divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Índice de Confiança da Indústria (ICI) apresentou alta de junho, indo para 77,6 pontos

Índice de Confiança da Indústria
Foto: Jon Kline/ Pixabay

No mês de junho, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) apresentado nesta segunda-feira subiu. De acordo com a FGV, o índice subiu 16,2 pontos no mês, indo para 77,6 pontos. Essa é a maior alta, indica a série histórica.

-Publicidade-

Neste mês, o índice apresentou uma alta total de 19,4 pontos, mas ainda está longe de recuperar a queda ocorrida entre março e abril. Nesses dois meses, em razão da crise do coronavírus, a queda foi de 39,3 pontos .

A FGV afirma que todos os 19 segmentos da indústria pesquisados apresentaram aumento da confiança no mês. Isso é atribuído à percepção dos empresários, que estão otimistas para os próximos meses.

Veja também: “FGV: Confiança do consumidor subiu em junho”

O Índice de Expectativas foi o que teve inegavelmente a maior alta, de 21,3 pontos, passando para 76, 2 pontos. O Índice de Situação atual subiu 10,6 pontos, para 79,2 pontos. Esses dois índices que já tiveram uma diferença de 17,8 pontos em maio, agora estão com apenas três pontos.

“De maneira geral, os resultados sugerem que o pior momento tenha passado para a indústria, apesar de estarmos longe dos níveis anteriores ao início da pandemia e de haver elevada incerteza em relação ao ambiente de negócios para os próximos seis meses, que pode comprometer a velocidade da recuperação”, afirmou a Fundação Getúlio Vargas, de acordo com o G1.

Queda do pessimismo

Conforme informa a FGV, a alta deste mês aconteceu por causa da diminuição do pessimismo dos empresários para os próximos três meses. O Indicador de produção já recuperou  48,3 pontos, ou 71% do que se perdeu entre janeiro e abril. Neste mês, subiu 46, 9 pontos, passando para 82,9 pontos.

Caiu de 63,9% para 36,4% o total de empresas que estão prevendo um nível de produção menor para os próximos três meses do ano. Já o número de companhias que esperam um nível mair de produção subiu, passando de 13,5% para 30, 7%.

Os índices de emprego previsto e de tendência de negócio também apresentaram alta em junho. Eles subiram 17,8 pontos e 9,1 pontos respectivamente. Com isso, estão em 76,5 pontos e 70,5 pontos.

Consequentemente, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada também cresceu. Com alta de 9,3 pontos percentuais nos últimos dois meses, ele está em 60,3%.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro