Preço do petróleo dispara e atinge maior alta em três anos

Opep decidiu manter a produtividade, impactando na inflação de vários países
-Publicidade-
No acumulado do ano, o preço da <i>commodity</i> avançou mais de 50%
No acumulado do ano, o preço da commodity avançou mais de 50% | Foto: Luisovalles/ Wikimedia

Depois que os principais produtores mundiais de petróleo mantiveram o acordo para elevar sua produção, os preços do insumo atingiram os níveis mais altos em pelo menos três anos.

Às 10 horas (horário de Brasília) desta terça-feira, 5, o petróleo tipo Brent era negociado a US$ 82,39, alta de 1,38%, maior cotação desde 2018. No acumulado do ano, a commodity avançou mais de 50%. Já os barris do Texas, referência nos Estados Unidos, eram cotados a US$ 78,62, aumento de 1,28%: maior nível desde 2014.

Ontem, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo informou que vai manter sua política de produção de petróleo, aumentando a capacidade em 400 mil barris por dia em novembro, apesar da pressão de consumidores para esfriar o mercado.

-Publicidade-

Os preços crescentes do petróleo, gás, carvão e energia estão alimentando pressões inflacionárias em todo o mundo e retardando a recuperação econômica pós-pandemia.

Leia também: “Queda das ações do Facebook faz Zuckerberg perder US$ 6 bilhões”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.