Subprocurador pede suspensão de troca na Petrobras

Lucas Rocha Furtado fala em interesse eleitoreiro na mudança de comando da estatal
-Publicidade-
Troca de comando da Petrobras está na mira de subprocurador
Troca de comando da Petrobras está na mira de subprocurador | Foto: Arquivo/Agência Brasil

No que depender do subprocurador-geral da República junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) Lucas Rocha Furtado, Joaquim Silva e Luna não chegará ao posto de diretor-presidente da Petrobras. Em representação encaminhada ao plenário do TCU, o integrante do Ministério Público (MP) pede que a anunciada mudança na gestão da empresa seja invalidada.

Leia mais: “Postos terão que ter painel com composição do preço do combustível”

Para tal solicitação, Rocha Furtado reclama do que define como interferência do governo federal na operação da Petrobras. Nesse sentido, o subprocurador-geral sugere que a divulgação feita na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro não visou ao bem-estar dos negócios para a petrolífera. Na ocasião, Bolsonaro afirmou que o general Silva e Luna assumirá a função de presidente da companhia no lugar do economista Roberto Castello Branco.

-Publicidade-

“Indícios de sobreposição de interesses particulares com fins eleitoreiros ao interesse público e desvio de finalidade do ato administrativo, com ofensa aos princípios constitucionais da legalidade e da moralidade”, afirma o subprocurador-geral, informa o jornal O Estado de S. Paulo. Dessa forma, ele pede que o processo de transição do comando da Petrobras seja imediatamente interrompido — e seguindo somente caso os ministros do TCU entendam que a mudança não foi traçada com fins meramente políticos.

O TCU ainda não definiu quando e como analisará o pedido do subprocurador-geral.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

13 comentários Ver comentários

  1. Esse inútil procurador não tem mais o que fazer?. Qual a segurança de investidores neste pais quando observam nosso manicômio judiciário?

  2. Está se tornando inviável qualquer decisão e/ou rumo a seguir pelo Brasil sem o aval do Judiciário. Os limitados cidadãos do Direito, cuja grande parte se tornou advogado porque fugiu de matemática, química, física, ciências naturais e lógica, o eu lhes daria, no mínimo, bom senso, de tão limitados, despreparados e mal instruídos que são, não conseguem entender suas próprias limitações, e de tão complexados dada a essas limitações e prepotentes, se imaginam acima de tudo e de todos.
    Características de acometidos pela Síndrome Dunning-Kruger!

  3. Onde estava esse procurador durante o assalto bilionário à Petrobras praticado pelos governos petistas? Esse sujeito é no mínimo um oportunista, militante político.

  4. Esse procurador devia mesmo mesmo era procurar um buraco pra enfiar essa cara de pau, que absurdo! Daqui a pouco o JB vai ter que pedir autorização pra trocar a cueca.

  5. quem é esse tal procurador na fila do pão para imaginar que um Presidente da República depende da opinião dele para nomear o presidente de uma empresa estatal?

    1. Enfim temos todos unidos em prol da Nação Brasileira, inclusive gente da OAB, judiciário, infiltrados e desesperados.
      Mesmo sem a ajuda da grande imprensa hipócrita, vão se desaparelhando andares inteiros na Petrobrás, desaparelhando da estatal os amigo-secreto de governadores, principalmente vermelhos.
      Eita Brasil surpreendente!

  6. Deveria ser denunciado por uso político do seu cargo, que não é político. Ora, dizer que é eleitoral um ato de gestão ele pode dizer do primeiro ao último dia do mandato de quem for. Demonstra ser um sujeito despreparado e/ou mal-intencionado.

    1. “Diploma universitário (assim como cargos públicos e títulos acadêmicos) não ajuda a encurtar o tamanho das orelhas dos burros”. Barão de Itararé (1895 – 1971), jornalista, escritor e pioneiro no humorismo político brasileiro.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.