Tereza Cristina: ‘Há interessados em vilanizar a agropecuária’

Ministra da Agricultura rebate críticas de que o setor é responsável por tudo de ruim no país
-Publicidade-
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL | A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Ministra da Agricultura rebate críticas de que o setor é responsável por tudo de ruim no país

tereza cristina
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
-Publicidade-

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou na segunda-feira 10 que há setores da sociedade que desejam “vilanizar” a agropecuária brasileira, o que atrapalha o desenvolvimento do país e dificulta a entrada de investimentos estrangeiros. “Há pessoas que hoje querem vilanizar a agropecuária brasileira dizendo que ela é responsável por tudo de ruim que nós vivemos, até mesmo a pandemia”, observou a ministra à Band News. Contudo, conforme noticiou Oeste, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística prevê para este ano safra 3,8% maior que a de 2019.

Quer saber por que o produtor rural é quem mais preserva o meio ambiente? Leia a entrevista exclusiva com o chefe da Embrapa Territorial publicada na edição n° 20 de Oeste

Em síntese, a produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve terminar 2020 com 250,5 milhões de toneladas. Além disso, segundo Tereza, o país sofre com problemas de comunicação. “Não só interna mas externa. No atual cenário, a gente vê que a comunicação é essencial”, explicou. Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, teve de rebater acusações de estrangeiros de que o Brasil promove queimadas na Amazônia. “Vocês queimaram as suas florestas. A Amazônia é assunto do Brasil”, declarou Guedes em live na semana passada.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Prezada ministra, quem ataca o agronegócio, o único setor q nos salvou do abismo quando a ladra terrorista e cach.aceiro vigari.sta destruíram o Brasil, está a serviço do esgoto esquerdista q só causou desgraças ao mundo. Acho q a melhor resposta é continuar a trabalhar (verbete desconhecido da esquerda) para aniquilar, destruir, pulverizar a chance de esta caterva sobreviver. Explicações técnicas, verdadeiras e indiscutíveis só satisfazem a pessoas normais, nunca a dementes, imb.ecis, vagab.undos, mentirosos, ladrões e canal.has

  2. Curioso é quando nossa poderosa imprensa tradicional incendiária e tomada por FAKE de ódio contra o governo Bolsonaro, elogia a ministra da agricultura e divulga informações para o público interno e externo de verdadeira destruição do meio ambiente pelo nosso agronegócio. O que é mais FAKE para o país, as bobagens ditas pelos veículos digitais modernos contra as instituições ou a desinformação dessa odiosa imprensa tradicional.

  3. Deve a ministra cuidar-se de entrar neste terreno ideológico. Deixe isto com o presidente e cuide de ter diesel nacional com óleo pressal (7a9 dólares no navio aliviador) e no mínimo 40% abaixo da tabela do cartel importador dos amigos do guedes. Fertilizantes nitrogenaodos, idem. Peça ao Tarvidio para roncar menos com caminhãozinho e trenzinho e fomentar oleodutos que interiruzem a baixo custode transporte e com maior segurança os combustíveis. Eu Rezo !

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.