-Publicidade-

Movimento Sleeping Giants Brasil se vê como potencial vítima de perseguição

Justiça determina que Twitter revele dados dos administradores do perfil.
Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER
Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER | sleeping giants brasil - twitter - perseguição

Justiça determina que Twitter revele dados dos administradores do perfil

sleeping giants brasil - twitter - perseguição
Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER

Um dia após o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) mandar o Twitter revelar quem está por trás do perfil Sleeping Giants Brasil, o movimento se posicionou. Sem divulgar a identidade de seus administradores, o projeto adotou tom vitimista em relação à decisão judicial.

Leia mais: “Moro respeita anulação de sentença no STF, mas…”

Por meio de postagem no próprio Twitter, o movimento teme que o parecer da Justiça nesse sentido possa resultar em “riscos de perseguição física ou virtual”. Além disso, o perfil se posiciona como defensor de “uma internet livre de ódio e de notícias falsas”.

Dessa forma, o Sleeping Giants Brasil afirma que desde sua criação, em maio, atua para mostrar a empresas que anúncios on-line promovidos por elas aparecem no que — de acordo com a iniciativa — representa “conteúdo falso ou odioso”.

O projeto não explicou, no entanto, as razões para denunciar somente veículos de comunicação digital mais alinhados com uma política editorial conservadora. O discurso de ódio protagonizado em julho por um colunista do jornal Folha de S.Paulo, que registra torcida pela morte do presidente Jair Bolsonaro e exibe publicidade até hoje, foi ignorado pelo perfil.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês